O emprego das ondas curtas

Separadores primários


O EMPREGO DAS ONDAS CURTAS


Podemos, devemos mesmo esperar muito das ondas curtas e até das muito curtas; mas o seu emprego pratico, comercial, está ainda muito afastado, pois que até ao presente não podemos empregar para essas ondas senão potências muito fracas.

Os notáveis resultados obtidos em certas circunstancias por amadores com as ondas curtas, não devem dar ilusões a esse respeito.

Dos relactorios anuais (exercício de 1924) de duas das mais importantes companhias americanas de T.S.F., extraímos as passagens seguintes que mostram precisamente a opinião dos técnicos d’alem-Atlantico acerca das possibilidades actuais das ondas curtas.

O relatório oficial da Radio-Corporation, exprime-se assim:


“A Radio Corporation desenvolve o emprego das ondas curtas com transmissões de fraca potência para as aplicações comerciais, sendo actualmente empregados em transmissões desse tipo nas duas costas do Atlântico e do Pacifico. Outros estão em via de montagem.

Algumas das estações radio-electricas com as quais trocamos comunicações empregam também transmissores de ondas curtas.

Sob o ponto de vista comercial, não é possível ainda considerar este sistema como sendo ultrapassado o período experimental de momento, e no que diz respeito ás comunicações a grande distancia, a sua irregularidade durante as horas do dia não permite considerá-las senão como um meio de socorro para a radiotelegrafia com grandes comprimentos de onda.

O estudo técnico dos receptores para ondas curtas é todavia, proseguido pelos nossos engenheiros e as possibilidades futuras que essas ondas podem oferecer, são o objecto de toda a sua atenção”.


O relatório com data de 31 de Dezembro de 1924 da «Companhia Transradio Internacional de Buenos-Aires», exprime a mesma maneira de ver nestes termos:


“No campo das ondas curtas, temos obtido resultados surpreendentes, mas sem possibilidade de aplicação pratica; muitos pretendem que seria possível substituir imediatamente as estações de grande potência por dispositivos de ondas curtas de preço muito reduzido, mas recentes experiências, realisadas segundo métodos scientificos, teem-nos demonstrado que na hora actual, o sistema de ondas curtas não é solução suficiente por si só, para revolucionar completamente o estado actual das comunicações comerciais radiotelegraficas.”


Estes comunicados estão exactamente comformes com os pontos de vista dos técnicos mais competentes da França, Inglaterra e da Alemanha.

E para confirmar este juízo, pela experiência, a «Radio Corporation d’America», a grande sociedade americana vai construir nas Filipinas uma das quatro maiores estações de T.S.F. de ondas largas que existem no mundo, que ficará em comunicação com todas as capitais. O lugar será escolhido brevemente de acordo com as autoridades navais, militares e civis consultados sob o ponto de vista da sua utilisação em caso de guerra.

Graças aos alternadores Alexanderson, a transmissão fazer-se-ha com uma velocidade considerável tornando impossível a leitura ou a cópia. Esta nova super-estação receberá as suas informações d’uma rede de postos locais cobrindo todo o Extremo-Oriente. Na China foram já feitos planos para essas feeder-stations.

A Radio Corporation anuncia que brevemente Shangai, Cantão, Macau, Saigon, Batavia e outros centros do Extremo-Oriente, estarão em comunicação com o resto do mundo, pelo Pacifico, por meio da futura super-estação.



Nota: Foi preservado o português original

Faça um donativo!

Faça um donativo!

Agora é mais fácil com Paypal!

Com o paypal.me pode contribuir para o site em qualquer moeda e em qualquer valor com a segurança desta plataforma.

Clique aqui para ajudar com o que quiser, com o que poder.