Agregador de coleccionadores

Separadores primários

Imagem: 
Antigo recetor de telegrafia

Todos nós temos uma grande admiração pelos coleccionadores. Mas atenção: coleccionar não é o mesmo que juntar. Quando somos jovens, juntamos selos, o que quer dizer que os removemos dos envelopes e os metemos de seguida em álbuns com etiquetas dos países de origem. Ou então juntamos latas de refrigerantes, isqueiros, búzios, frascos de perfume, que guardamos a monte numa caixa de sapatos ou dentro de uma velha gaveta.

Coleccionar é muito mais do que isto. Coleccionar é saber quem foi o artista que pintou a tela ou modulou a escultura ou, ainda, quem foi que fabricou este ou aquele objecto. Mas não é tudo. Há que averiguar a data em que o objecto foi feito, quando essa data não está explícita. Quem foi o primeiro dono da peça que adquirimos e por que mãos passou, que restauros sofreu, etc.

É assim que começa aquilo que pode vir a ser uma grande colecção. E com o mérito de serem, em regra, os coleccionadores os criadores dos museus.

O Estado não tem vocação de coleccionador, não passeia por feiras ou romarias em busca de velhos objectos, mais ou menos esquecidos e que, um dia, alguém resgata de um poeirento sótão e os traz à luz do dia, para serem vendidos num arraial ou qualquer outra festa popular.

Ao Estado não cabe seguir leilões na Internet e licitar, no último minuto, aquele objecto tão desejado que se anda a seguir há dias.

Ao Estado não interessa vasculhar raridades em antiquários, alfarrabistas ou lojas de artigos usados. Mas tudo isto interessa ao coleccionador.

O rádio, nosso objecto de culto, tem, ao redor do mundo, muitos devotos coleccionadores, gente que não olha a meios e custos para arrebatar um modelo raro ou uma peça interessante.

Portugal e o Brasil têm excelentes coleccionadores, gente que tem dedicado muito do seu tempo, dinheiro e paciência, na recolha, preservação e restauro destes velhos objectos. Quantos são, onde estão, o que têm, o que os leva a nutrir esta paixão, é coisa que ninguém sabe.


Qestionário aos coleccionadores

Sendo este um espaço agregador de tudo o que tem a ver com a memória da rádio e do rádio enquanto objecto histórico omnipresente na vida de todos nós, objecto de magia e sonho, entendeu-se que seria de primordial importância reunir o máximo de informação sobre os coleccionadores de rádios antigos destes dois países.

Para ajudar nesse objectivo, criou-se um questionário que, por um lado, pretende determinar o perfil do coleccionador tipo, com perguntas de controlo e, por outro lado, saber detalhadamente o que cada coleccionador tem, quer em quantidade, quer em qualidade.

Se é coleccionador, não importa se tem muitos ou poucos exemplares, ajude-nos a agregar esta informação, preenchendo o questionário que se encontra disponível.

Como nem todos os coleccionadores têm acesso à Internet, por favor, seja portador desta informação para amigos ou conhecidos que também partilhem este gosto comum.

Faça o download do ficheiro em formato Word, preencha-o e envie-o para um dos contactos que é indicado no próprio questionário. Os dados pessoais serão preservados, sendo apenas publicados os que você permitir.

Ajude-nos a conhecê-lo melhor, a si e à sua colecção.


Lista de coleccionadores aderentes:


AnexoTamanho
Microsoft Office document icon questionario.doc36.5 KB

Faça um donativo!

Faça um donativo!

Agora é mais fácil com Paypal!

Com o paypal.me pode contribuir para o site em qualquer moeda e em qualquer valor com a segurança desta plataforma.

Clique aqui para ajudar com o que quiser, com o que poder.