Luxman MB300 e LAMM ML2.1 - Os tríodos são eternos

Separadores primários

Luxman MB300 e LAMM ML2.1

Luxman MB300 e LAMM ML2.1 - Os tríodos são eternos


Estamos a chegar ao fim da nossa saga. Não podíamos fechar esta breve história sem falar dos amplificadores Single-ended. Estes aparelhos, verdadeiro culto para muitos melómanos, são objectivamente um paradoxo, e, nas linhas abaixo, iremos explicar porquê.

Os amplificadores mono válvula ou "Single-ended", nasceram no fim dos anos vinte, para amplificar os teatros e o cinema, quando este se tornou sonoro. Visto assim, estes aparelhos são os primeiros amplificadores da história, e a pré-história do áudio electrónico.

O apogeu desta tecnologia, foi nos anos trinta nos Estados unidos, com marcas como a Western Electric, que era especializada no cinema.

Desde os anos quarenta os tétrodos começaram a tomar o lugar dos tríodos e o Push-Pull (mais potente) eclipsou definitivamente o Single-ended. Mas a história dá muitas voltas, e desde o começo dos anos sessenta os japoneses irão tirar esta tecnologia da cova.

Em comparação com os amplificadores Push-Pull da época, os amadores reconhecem que os Single-ended soam de uma maneira mais natural. É o começo da escola audiófila japonesa, que irá duvidar da evolução musical do áudio.

Começam a construir amplificadores com todos os antigos tríodos disponíveis, e a utilizar componentes modernos no seu fabrico. O resultado é espectacular, e as demonstrações públicas são eloquentes. Os Single-ended são verdadeiramente muito mais musicais que as outras tecnologias.

Certos artesãos japoneses especializam-se nesta tecnologia e no fabrico dos componentes associados, aos quais será dado mais tarde, o nome de "componentes audiófilos".


Foto da válvula 300B


Uma hierarquia de qualidade dos tríodos, aparece rapidamente e unanimemente, os japoneses constatam que o melhor tríodo à escuta é a 300B, vão chamar-lhe a "Rainha dos tríodos áudio".

Esta válvula criada pela Western Electric em 1928, teve uma longevidade extraordinária, pois foi fabricada até fim dos anos oitenta, sem interrupção. É uma válvula muito difícil de copiar (e a mais copiada), pois a Western Electric possuía um saber fazer único, e os segredos escondidos neste tríodo, são até hoje quase impenetráveis.

A linearidade do 300B é fantástica (ultrapassa quase todas as outras válvulas), e a robustez é única (mais de 10000 horas de funcionamento).

Esta robustez explica que a partir dos anos sessenta a 300B passa a ser utilizada nas alimentações de radar militar.

Um dos aparelhos em destaque será equipado com essa válvula.