Humor: Raúl Solnado

Separadores primários


Raúl Solnado



Foto de Raúl Solnado


Raul Solnado nasceu em Lisboa, a 19 de Outubro de 1929, tendo-se notabilizado como humorista, apresentador de televisão e actor de teatro.

É unanimemente reconhecido como um dos maiores nomes do humor português, tendo começado a fazer teatro na Sociedade de Instrução Guilherme Cossoul em 1947, profissionalizando-se em 1952.

Um ano depois estreia-se no teatro de revista com "Viva O Luxo", apresentado no Teatro Monumental. Entra também em "Ela não Gostava do Patrão".

1956 é o ano de "Três Rapazes e Uma Rapariga" no Teatro Avenida. Participa ainda nos filmes "O Noivo das Caldas" e "Perdeu-se um Marido".

Em 1958 participou nos filmes "Sangue Toureiro" e "O Tarzan do Quinto Esquerdo", tendo-se deslocado, pela primeira vez ao Brasil.

Os anos seguintes são extremamente activos, tendo participado em numerosas peças de teatro e alguns filmes.

"A Guerra de 1908", um sketch do espanhol Miguel Gila, adaptado para português por Solnado, é interpretado na revista "Bate o Pé", estreada no Teatro Maria Vitória em Outubro de 1961.

O disco que reunia este sketch e "A História da Minha Vida", editado em Abril de 1962, bateu todos os recordes de vendas de discos.

Ainda hoje é o "cartão de visita" deste humorista, sendo reconhecido por toda a gente, mesmo os mais novos.

A sua vertente de empresário nasce com a fundação do Teatro Villaret. A estreia foi em 1965 com "O Impostor Geral" onde foi o protagonista.

Em Maio de 1966 foi lançado o EP "Chamada Para Washington". O EP "Cabeleireiro de Senhoras" foi lançado no fim de 1968. Em Janeiro De 1969 foi editada a compilação "O Irresistível Raul Solnado" que incluía alguns dos principais êxitos editados anteriormente em EP: História do Meu Suicídio, Chamada para Washington, O Bombeiro Voluntário, A Guerra de 1908, O Cabeleireiro de Senhoras e História da Minha Vida.

Foi também esse o ano da sua consagração televisiva: no dia 24 de Maio foi gravado o primeiro programa do "Zip-Zip", No Teatro Villaret.

O programa da autoria de Solnado, Fialho Gouveia E Carlos Cruz foi um dos marcos desse ano.

A última emissão foi no dia 29 de Dezembro do mesmo ano.

Seguem-se mais peças e filmes e o seu novo grande êxito na televisão acontece em 1977 com o programa "A Visita da Cornélia".

O single "Dá O Cavaquinho, Os Ferrinhos e a Pandeireta" de 1978 inclui dois temas de Luís Miguel d'Oliveira: "É Tão Bom Sabe tão Bem" e "Viste O Lino?".

Em 1981 repete o enorme êxito com a peça "Há Petróleo no Beato". "Super Silva" foi outro êxito enorme.

Reunindo de novo Fialho Gouveia e Carlos Cruz apresenta na RTP o programa "O Resto São Cantigas" onde foram recordados músicos e compositores da época áurea da música ligeira portuguesa.

No concurso televisivo "Faz de Conta" mostra todo o seu talento ao contracenar e improvisar com os concorrentes que lhe davam réplica.

Ainda na televisão é o protagonista da sitcom "Lá Em Casa Tudo Bem" que dura vários meses.

Os sucessos deste humorista continuam nos anos seguintes a um ritmo verdadeiramente vertiginoso, tornando-se a sua enumeração exaustiva para um artigo desta índole.

O reconhecimento do Estado veio em 2002, tendo sido homenageado com a Medalha de Ouro da Cidade de Lisboa e recebeu, em 10 de Junho de 2004, do Presidente Jorge Sampaio a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique.

Foi, até à sua morte, Director da Casa do Artista, sociedade de apoio aos artistas, que fundou juntamente com Armando Cortêz, entre outros.

Raul Solnado faleceu no dia 8 de Agosto de 2009, vítima de doença cardiovascular. Será para sempre um ícone do povo português e de Portugal.



Faça um donativo!

Faça um donativo!

Agora é mais fácil com Paypal!

Com o paypal.me pode contribuir para o site em qualquer moeda e em qualquer valor com a segurança desta plataforma.

Clique aqui para ajudar com o que quiser, com o que poder.