1922: Primeiro auto rádio

Separadores primários

No dia 5 de maio de 1922, pela primeira vez um automóvel – um Ford modelo T – foi equipado com um auto rádio. O que a princípio parecia excêntrico, em cinco
anos tornou-se produção em série.

Duas importantes invenções do mundo moderno aconteceram quase simultaneamente. O automóvel existia há algumas décadas e Henry Ford havia começado a sua produção
em série no começo do século.

O rádio dava ainda os primeiros passos quando, em 1922, George Frost se sentou confortavelmente no seu modelo T, deu a partida
e ligou o rádio. Um gesto que entrou para a história!

Hoje, mal se pode imaginar um carro sem rádio. O jovem estudante de 18 anos e presidente de um rádio clube pode, entretanto, não ter sido o primeiro na invenção,
como conta um porta-voz da Ford em Colônia: "Como nesta época houve vários que adaptaram um receptor no seu carro, é difícil dizer quem foi o primeiro,
mas oficialmente Frost é considerado seu inventor".

Dos gigantescos aos removíveis

Nos seus primórdios, o auto rádio ocupava tanto espaço que, se o automóvel tivesse dois bancos, os de trás seriam ocupados pelo rádio e a antena.

Hoje, os modelos são cada vez mais compactos e versáteis. Além de música e informação, os receptores mais avançados já oferecem sistema de navegação, telefone
e internet. Avanços que tornam o auto rádio um objecto cada vez mais cobiçado pelos ladrões.

Mas também este problema foi resolvido pela indústria, com auto rádios cada vez menores, de painel removível. Um conforto, desde que não seja esquecido
em casa!

Adaptado de um texto de Dirk Ulrich Kaufmann (rw)
Fonte: Deutsche Welle
http://www.dw-world.de/dw/article/0,2144,511294,00.html

Por curiosidade, refere-se que, em Portugal, em 1924, a empresa “SOCIEDADE PORTUGUESA DE AUTOMÓVEIS LDA” vendia um automóvel da marca “Essex” que já trazia rádio. Este veículo de seis cilindros permitia, através
das suas baterias, mais de duzentas horas de alimentação dos filamentos das válvulas do seu rádio.

Comentários

M.Loureiro
Eu mesmo fui proprietário de um autorádio, a valvulas que tinha pertencido a um automovél mercedes, esse autorádio comsumia uma bateria de 12 V em poucas horas, fico espantado "estupefacto" em saber que as baterias (?) do "Essex" permitiam mais de duzentas horas de funcionamento.
Penso que isso só acontecia com o veiculo em marcha, com o motor ligado, ficando o "dinamo" (nessa época ainda não existiam alternadores) a gerar os 12 v que alimentam o rádio, pois se fossem só as baterias elas não alimentavam o autorádio 200h.
- Para quem nunca viu nehum autorádio a valvulas, notem que para se utilizar uma fonte de alimentação atravéz de transformador, eram necessários uns 3 amperes no minímo para que ele aquecesse as valvulas (e fazer funcionar o multivibrador, para gerar a tensão do cátodo), mas acreditem que era espectacular escutar o som de um auto 12v a valvulas.
(o multivibrador gerava uma tensão dente de serra)

M. Loureiro

Tenho um auto-rádio a valvulas da marca blaupunkt mas de 6v
que em está a funcionar em perfeitas condições e que em breve
irei aqui por na galeria para que todos o vejam.

José Lopes

Esse Blaupunkt de 6 válvulas foi postado na galeria? Alguém poderia deixar o link?

Grato!

Ainda não está....em breve irá aqui estar.

José Lopes


Faça um donativo!

Faça um donativo!

Agora é mais fácil com Paypal!

Com o paypal.me pode contribuir para o site em qualquer moeda e em qualquer valor com a segurança desta plataforma.

Clique aqui para ajudar com o que quiser, com o que poder.