História, e mais de RADIO

Separadores primários

Sabia que...
A EMISSORA NACIONAL DE RADIODIFUSÃO, Foi criada em 1935, sempre fiel ao estado, deslumbrou com o fascínio todos quantos a escutavam.
Com estúdios no Quelhas, Lisboa, onde Duarte Pacheco foi um dos mais inovadores, membros do regime de SALAZAR foi também o maior impulsionador na criação da primeira emissão de radio nacional.
Após 25 de Abril de 1974 foi tornada publica, passando a designar-se RDP RADIODIDIFUSÃO PORTUGUESA, até que em 2002, surge um governo virado para a "chamada nova era" e de novo quase tudo é alterado, e assim a RDP integra a TV, passando a designar-se Rádio e Televisão de Portugal, e isto porque a RDP possuidora de um rico e imenso património bem como um bom pé de meia,”€€€”que deveria “como está a ser” repartido pela RTP que se encontrava falida por eles os tais “criadores ou ditos progressistas, mas que progresso !”.
>>>> Em Valença as instalações começaram a ser construídas em inícios de 1969, e em Junho desse mesmo ano tem inicio as emissões, melhor as retransmissões, pois era esse o objectivo do emissor de AM então instalado e destinado a servir as populações a Norte de Viana do Castelo, "Alto Minho", passando a funcionar desde as 07,00 horas da manhã até ás 24.00, anos depois passaria a funcionar nas horas nocturnas com uma potençia reduzida de 1 KWt, e em horário diurno com a potençia de 10 KWts, a partir do 25 de Abril de 1974, passa a funcionar de forma permanente com a mesma potençia.
O Primeiro funcionário responsável pela manutenção e Assistência foi, Artur Gonçalves Fernandes, Actualmente a gozar a Aposentação dos 48 anos de contribuições para a Segurança Social e Caixa Geral de Aposentações, "autor do livro de que este trecho fás parte".<<<<.
Sabia também que...
As primeiras emissões de Radio Local “piratas”que muito mais tarde viriam a ser as RADIOS LIVRES, em Valença teriam início em meados de 1971 que com muita cautela, eram feitas quase sempre a partir do cimo do monte do Faro, “apenas a altas horas da noite”, e para onde se deslocava numa velha motorizada carregando ás costas, equipamentos, baterias, material necessário á EMISSÃO tudo em absoluto segredo.
Pelo que sómente em Março de 1983 tais emissões seriam com mais frequência e, 1 ano depois mais precisamente em 04-05-1984 já com estúdios verdadeiramente a sério, com certo ar de profissionalismo era dada a conhecer a procedência, ou seja a partir da sua residência.
A Rádio de Valença, a ele se deve em exclusivo “facto que alguns teimam contrariar” foi ele o único que trabalhou, investiu, dedicou, arriscou, e perdeu, forçado a abandonar por enormes e cobardes pressões, além de traiçoeiras, sacanices, cujos autores aí estão a usufruir.
Para inglês ver, aquando da legalização trocaram-lhe o nome, mas para quê mais acrescentar .
Sabia ainda que a primeira rádio se chamou, RADIO PENINSULAR DE VALENÇA , que em seguida “ alguém lhe propõe alterar o nome para, RADIO VALENÇA CIDADE NOVA ?” em troca de tanto que nunca chegou!.
Sabia que existiram logo de seguida mais 2 concorrentes uma das quais por suas mãos, cujo nome tanto viria a dar que falar, mas em tudo, fazia as delícias de tantos (que a ouviam), Valencianos ou não, era então a VÓZ DE VALENÇA.
Ainda uma outra, deu meia dúzia de passos, mas teve a mesma sorte devido a tantos porquês que fizeram com que fica-se pelo caminho, a RADIODIFUSÃO DE VALENÇA, que surgida apenas por capricho, mas que pela mão desse punhado de alguns que sentiram “já no tempo” que até nem seria BOM para a terra a existência “de uma só RADIO”e cujos resultados aí estão de que maneira visíveis, “e que hoje pode tudo ser comprovado, que a não existência de mais uma RADIO, se deve ao facto de tanta sacanice feita ao autor da 1ª”. que fica por aqui com receio de ainda mais represálias.


Faça um donativo!

Faça um donativo!

Agora é mais fácil com Paypal!

Com o paypal.me pode contribuir para o site em qualquer moeda e em qualquer valor com a segurança desta plataforma.

Clique aqui para ajudar com o que quiser, com o que poder.