Rádio junta mãe e filha após 32 anos

Separadores primários

Adaptado de O Globo
http://g1.globo.com:80/Noticias/SaoPaulo/0,,MUL92597-5605,00.html

Um serviço voluntário oferecido por radioamadores conseguiu reunir mãe e filha que estavam separadas há 32 anos. O encontro aconteceu na sexta-feira (17), em Araraquara, a 273 km de São Paulo.

“Faltava um pedaço de mim. E eu não queria morrer sem vê-la, porque já pensou morrer sem ver minha filha?”, desabafou a aposentada Evenilde Freitas.
Enviou uma carta para o radioamador José Aparecido Peccetti pedindo ajuda para encontrar a filha perdida.

Este radioamador faz parte de um grupo que já conseguiu localizar 1800 pessoas nos últimos 11 anos através de uma rede de radioamadores.

O trabalho voluntário conta com o apoio de quase 2000 unidades de rádio por todo o Brasil, além de 188 no estrangeiro.

Todos os dias, o grupo recebe entre 30 e 35 cartas. Numa delas, veio o pedido de Evenilde.
Separou-se da filha quando ainda morava no Paraná. “Ela é a mais velha e foi trabalhar em Curitiba com uma família. Depois, ela queria nos levar, mas
nós não fomos. Aí perdemos o contacto e não vimos mais”, conta a aposentada.

Peccete, também conhecido como Zinho Uirapuru, entrou em contacto com amigos em Curitiba. “Localizei ela numa churrascaria. Falei ‘olha, tem como eu conversar
com ela?’. Aí passaram o número. Liguei e Deus fez uma coisa tão maravilhosa que justo ela que me atendeu."

A filha, Zilda, já chegou a chorar à casa da mãe. Muito emocionadas, as duas abraçaram-se e mataram as saudades. A mãe, Evenilde, foi categórica após o reencontro: “vamos ficar sempre perto uma da outra”.

Comentários

Muito interessante, o alcance e a interatividade! Ótimo!


Faça um donativo!

Faça um donativo!

Agora é mais fácil com Paypal!

Com o paypal.me pode contribuir para o site em qualquer moeda e em qualquer valor com a segurança desta plataforma.

Clique aqui para ajudar com o que quiser, com o que poder.