História da rádio do Porto contada às novas gerações (IV)

Separadores primários

História da rádio do Porto contada às novas gerações
Outra foto
Outra foto

Das estações que formaram os Emissores do Norte Reunidos no início da década de 1950, quatro eram originadas em empresas comerciais de venda de marcas de recetores de rádio e/ou reparação de recetores: Rádio Porto, Ideal Rádio, ORSEC e Electro-Mecânico. A quinta estação tinha a designação de Rádio Clube do Norte (antiga Rádio Invicta). Outra estação, Portuense Rádio Clube, não aderiu a esse movimento associativo e acabou por desaparecer em 1955.

Esta formação empresarial existiu noutras cidades do mundo, a implicar a relação entre atividades de cultura e lazer com o puro negócio comercial. Em Portugal, país importador de equipamentos, a ligação fez-se através de exclusividade de marcas ou representação local. O surgimento de rádios associadas em Lisboa teve, no conjunto, outra origem, assente por exemplo em técnicos de estações de rádio que se especializaram ou fornecedor de serviços e abriram o seu próprio negócio, sem abdicarem do primeiro emprego (Rádio Peninsular e Rádio Graça) ou como extensão de atividade ligada à saúde pública (Clube Radiofónico de Portugal).

Ainda quanto ao Porto, a depois editora discográfica Rádio Triunfo começou como loja de reparação de recetores de rádio, à rua das Flores. Um dos sócios foi um dos fundadores de Rádio Renascença, monsenhor Lopes da Cruz.