Um abraço entre os povos

Separadores primários


RÁDIO - UM ABRAÇO ENTRE OS POVOS



Foto de um rádio de capela


Grande descoberta do Séc. XX, a rádio constituíu-se, desde logo, como o maior elo de ligação entre os povos, destruíndo barreiras continentais e, abrindo novas rotas através do Globo.

Orgão de Comunicação Social por excelência, a Rádio foi, desde o seu início, um importante meio de distracção, informação e cultura, aproximando as populações rurais dos centros urbanos, divulgando aos quatro ventos tudo o que se passa à nossa volta e tornando-se desta forma o maior veículo de divulgação de conhecimentos.

Presente nas duas Grandes Guerras através de correspondentes especiais; assistindo aos grandes eventos da nossa época; ou acompanhando os «fait-divers» do dia a dia, a Rádio foi a companheira imprescindível do homem, sobretudo após o aparecimento do transistor.

Na década de 40, atingiu momentos aureos com o aparecimento das grandes vedetas do microfone e a popularidade dos seus folhetins e teatros radiofónicos.

Hoje, ainda, continua presente nas nossas horas solitárias do dia, nas longas viagens na estrada, nas zonas do interior. Reforçando laços de amizade entre os povos, a Rádio vem, desde há muito, aproximando as duas nações irmãs das margens do Atlântico num esforço de divulgação da língua e da música, que, sobretudo o Brasil, tem exportado para todo o mundo.

“Em louvor dos Homens que lançaram, através do Atlântico, novo e original elo de ligação entre os dois povos irmãos”Aqueles a quem damos uma palavra de alegria e optimismo logo pela manhã, no início de mais um dia de trabalho; o jovem que estuda com o programa em fundo; o motorista que nos tem por companhia nas longas noites ao volante do seu camião; o operário que na pausa do almoço nos sintoniza num pequeno transistor; o emigrante para quem somos a voz longínqua da Mãe Pátria; todos, enfim, a quem tornamos menos penosas as horas de vigília e solidão.

Talvez nunca tenham pensado no caminho longo que foi necessário percorrer para chegar ao rádio que ouvem. E no entanto é uma história apaixonante.

Comunicar à distância é um objectivo que o homem persegue desde os tempos mais remotos. Desde o ECO, que se lhe revela como fonte misteriosa de sons, até aos múltiplos sinais de que, ao longo dos séculos, vai servir-se ,para transmitir e receber mensagens, é longa a caminhada que precede a descoberta das ondas sonoras.

Ao longo desta página encontrará alguns fragmentos dessa história; alguns já quase perdidos, outros ainda bem presentes na memória de quem ama a rádio.



António Silva
(Texto adaptado do livro" 60 Anos de Rádio em Portugal" editado pela RDP)



Faça um donativo!

Faça um donativo!

Agora é mais fácil com Paypal!

Com o paypal.me pode contribuir para o site em qualquer moeda e em qualquer valor com a segurança desta plataforma.

Clique aqui para ajudar com o que quiser, com o que poder.