Rádio Canadá Internacional

Separadores primários


RÁDIO CANADÁ INTERNACIONAL



Em 25 de Fevereiro de 1945 uma nova emissora internacional de rádio registava presença no meio de um momento de transição pós guerra.

Nascia a "Rádio Canadá Internacional", emissora da Corporação Canadiana de Radiodifusão - CBC (Canadian Broadcasting Corporation).

Naquela época, a sua primeira emissão colocou no ar um discurso do Primeiro Ministro W.L. Mackenzie, e transmitia a sua mensagem de boas novas em relação à nova emissora que passaria então a representar a cultura e sociedade canadiana no mundo.

A idéia inicial de formar uma emissora internacional de rádio nasceu em 1930, quando o Conselho de Radiodifusão do Canadá entendeu que o país necessitava de uma representação e apoio social aos seus cidadãos que residiam no exterior.

A base social do Canadá também se apresentava mais influente no contexto internacional, pois o país é composto por diversas etnias e estas vivendo em plena harmonia, possuíam cada qual uma característica muito própria.

Em 1942, o primeiro ministro Mackenzie determinou então que o Comitê Parlamentar de Radiodifusão autorizasse a Radio Nacional Canadiana na criação de programas em Ondas Curtas para satisfazer as necessidades do contingente das Forças Armadas Canadianas que prestavam serviços no exterior.

O Serviço Internacional de Radiodifusão do Canadá foi instituído então a 18 de Setembro de 1942. Como o projecto era inicialmente experimental, os estúdios da Radio Canadá foram colocados no mesmo prédio da CBC, a emissora dos serviços domésticos de rádio, e algumas adaptações foram feitas.

Em menos de um ano e meio, o governo decidiu instituir definitivamente os serviços da emissora , que passou a dispor de estúdios próprios, novos funcionários e equipamentos mais actuais. Os estúdios da RCI acabaram por ficar no mesmo local , no centro da cidade de Montreal, e os seus transmissores de Ondas Curtas, foram instalados na cidade de Sackville, em New Brunswick. Montreal era a cidade que mais poderia oferecer as condições de produção de rádio, pois os centros de produção de rádio locais, que produziam exaustivamente programas em Inglês e Francês, idiomas oficiais do país, tenderiam a oferecer vasto material para novos programas emitidos do exterior. Sackville foi escolhida após vários estudos de transmissão de rádio entre o Canadá e o continente europeu.

Durante 1943, dois transmissores de 50 KW e uma rede de antenas foram construídos no local. No final de 1944, após organizar os serviços de produção e transmissão, a direcção da emissora declarava-se pronta para realizar emissões teste entre o Canadá e o Exterior. Os testes começaram em 25 de dezembro de 1944, que transmitiam para Tropas Canadenses na Europa em Inglês e Francês.

Embora experimentais, estes testes de transmissão acabaram desenvolvendo uma audiência regular junto destas Tropas. Os testes continuaram por mais dois meses, onde ainda eram afinados os links entre os transmissores e os estúdios.

Em 1945 foi então declarado pronto o Serviço Internacional da CBC, que passaria a transmitir definitivamente em 25 de Fevereiro.

Quando o serviço foi para o ar inicialmente, emitia em três idiomas - Inglês, Francês e Alemão. Todos dirigidos para o Leste Europeu e Centro Europa.

Os relatórios de sintonia recebidos na época relatavam uma excelente sintonia e um sinal de emissão muito claro. Mas a recepção isoladamente não fazia deste serviço uma transmissão popular. Os programas eram baseados em comentários e matérias sobre diversos assuntos, mas alguma coisa ainda faltava.

Após alguns contactos com ouvintes, a emissora acabou por receber retornos dos ouvintes que queriam saber não o que se passava no Mundo, mas como dizia uma carta "Como é a vida no Canadá ? ".

Era isso que os produtores precisavam, saber o que o ouvinte queria saber de facto e todos os demais trabalhos seguiram neste sentido. Sucesso garantido.

Em 1946, a CBC decidiu incluir emissões regulares em mais dois idiomas, Checo e Holandês. No início do mês de julho do mesmo ano, foram para o ar programas experimentais em Sueco e Dinamarquês e mais tarde, Norueguês.

Em Novembro, começaram as emissões diárias em Inglês para a região do Caribe. Nas noites de Domingo eram produzidos programas em Espanhol e Português.

Estas emissões só se tornaram regulares em 06 de Julho de 1947. Nos anos 50, a emissora passou por diversas inclusões em programas e transmissões novas eram iniciadas constantemente, como Russo, Eslovaco, Ucraniano e Polonês. O Serviço Internacional da CBC passava a competir directamente com a popularidade da BBC de Londres, emissora estatal britânica, pois a presença e regularidade da emissora a tornava um dos poucos meios de informação de muitas localidades ao redor do mundo.

De 1951 a 1952, temporariamente foram produzidos programas oficiais das Nações Unidas, transmitidos pela CBC, que foram transferidos para a Voz da América, em 29 de Novembro de 1952. Nos anos seguintes, a emissora passou por algumas modificações e adaptações na geração e produção de alguns programas. De 1955 a 1961 a emissora passou por uma grande reorganização e determinou novas metas e objectivos de trabalho. As verbas de manutenção deveriam ser melhor utilizadas e um novo escalonamento das transmissões também. Os serviços internacionais em idiomas do Leste Europeu e da Escandinávia foram tirados do ar. Serviços em russo, Alemão e Polonês seriam então os novos idiomas utilizados para os países do Leste Europeu. O serviço português e espanhol passou por uma redução e era transmitido apenas durante a noite.

Durante toda a década de 50, a CBC continuou a passar por transições, programas eram cortados ou adaptados e muitas coisas ainda mudariam a fisionomia da emissora. Em Julho de 1970 finalmente grandes mudanças abateram a CBC que diante de novas perspectivas passaria então a chamar-se "Rádio Canadá Internacional.

Desde 1968 novas metas e projectos estavam em andamento e a partir daí a emissora receberia atenção específica do Parlamento Canadiano.

Tudo começou pelo facto da CBC emitir em Ondas Curtas para o exterior, mas esta não era a sua função. O regimento orgânico da emissora era basicamente do serviço nacional de radiodifusão e não de um serviço internacional.

Justamente nesta época, uma quantidade enorme de pessoas começavam a sintonizar as emissões em Ondas Curtas. A Guerra Fria entre Rússia e estados Unidos mantinham os ouvintes mais interessados no que acontecia ao redor do mundo. Atendendo ao perfil dos seus ouvintes, a RCI desenvolveu programas de incentivo às informações sobre o estilo de vida dos canadianos, a sua cultura e tradições. Havia um slogan na época intitulado "o seu amigo em Ondas Curtas" onde a emissora procurava manter certa cumplicidade social junto dos seus ouvintes.

Os 20 anos entre as décadas de 70 e 90 foram anos de muitas transformações. Com a expansão técnica e de programação, a RCI passava a participar da então elite radiofônica mundial, ao lado de grandes potências de rádio européias e americana.

Em 7 de Novembro de 1971 a emissora inaugurou o seu primeiro transmissor de grande potência ( 250 KW) cinco vezes mais potente do que os actuais. Com os excelentes resultados desta inauguração, em menos de 3 anos, mais 3 unidades foram construídas e a RCI passou a Ter penetração global.

Mesmo com sinais razoavelmente fortes, muitas localidades não sintonizavam os sinais de RCI e em meados de 1972 projectos de cooperação entre a RCI, BBC de Londres e Voz da Alemanha possibilitaram que os seus sinais chegassem à União Soviética e à África.

Até 1972, as emissões da RCI eram geradas nos estúdios localizados no prédio da CBC no centro de Montreal. Adaptações de espaço e produções já não eram tão fáceis de ser tomadas, muitas necessidades específicas solicitavam respostas rápidas e uma solução surgiu: a CBC passaria para outras instalações, ainda em Montreal e uma adaptação melhor seria feita para adequar as necessidades da RCI diante a CBC.

Em 17 de junho de 1972 nascia La Maison de La Radio Canada (A Casa da Rádio Canadá) um espaço amplo no prédio original da CBC, onde os quatro primeiros andares do prédio ofereciam todas as condições técnicas para produção, edição e apresentação dos vários programas da RCI.

Com o passar do tempo, a RCI tornou-se mais dinâmica e poderia oferecer então, melhores programas. Em 1975 produções da rede nacional da CBC foram aos poucos incluídas na programação e no contexto de emissões internacionais, vigoravam também programas domésticos.

Na década de 80, a emissora pode incrementar os seus programas, emitindo programas em Japonês e Chinês. Dez meses depois do início destas emissões, um serviço em árabe foi desenvolvido e passou a ser produzido com alvo no Oriente Médio.

Com a economia canadiana em franca recessão, todos os serviços de rádio e televisão estatais sentiram no bolso a falta de dinheiro para novas produções. O problema ainda era pior, não haviam condições de se saber o quanto ainda poderia ser mantido com o dinheiro disponível.

A década de 90 marcaria para sempre a existência da emissora e da sua manutenção. Haviam movimentos internos que declaravam a RCI como uma luxúria frente às reais necessidades do país, outros já imaginavam adaptações e quem sabe, cortes de produção para manter a emissora. Os ouvintes da emissora em todo o mundo protestavam com o corte das emissões e talvez, a extinção da emissora. Centenas de cartas de protesto chegavam regularmente em Ottawa, a campanha de apoio pode ter ajudado e muito a decisão final sobre o futuro da emissora.

No fim de 1990, o governo canadiano anunciava então que a RCI seria mantida, mas grandes mudanças ocorreram. Uma nova Norma de Comunicações foi homologada e novas metas de adaptação aos recursos existentes foi proposta. A emissora manter-se-ia no ar, mas quem e quais serviços internacionais seriam extintos? A CBC não dispunha de verbas para continuar a promover a RCI e o governo trouxe-a então para o controle do Ministério das Relações Exteriores. A emissora encontrava-se numa situação tão difícil, que gastos básicos, como servir café nos escritórios e ligações telefônicas para o exterior foram cortados. A emissora não poderia ser silenciada, mas alguém haveria de tomar alguma decisão para definir o futuro da emissora, e esta decisão não demorou a ser tomada.

Em 25 de Março de 1991, o Director Executivo Allan Familiant anunciava então uma reestruturação total da Radio Canadá Internacional. 6 dos 13 serviços internacionais foram extintos - Checo, Alemão, Húngaro, Japonês, Polonês e Português. Os serviços internacionais em Inglês e Francês também sofreram reduções e praticamente todos os projectos em andamento foram cancelados. Alguns dos programas em andamento foram simplesmente anexados aos serviços de transmissão doméstica da CBC.

Após muitos problemas de estruturação resolvidos, a emissora não poderia mais prender-se aos problemas financeiros, atitudes e decisões precisavam ser tomadas no sentido de manter a emissora a funcionar correctamente e levando para o ar a realidade canadiana. Em Agosto de 91, ainda abalados com as mudanças, cortes de gastos e demissões de pessoal, os produtores dos diversos serviços de emissão internacional reuniram-se e organizaram por conta própria uma nova tendência dentro da emissora: a adaptação de programas regulares em produções de variedade e entretenimento. Não se admitia que a emissora morresse por si mesma, esvaindo-se em problemas e queixas regulares na sua estrutura.

Surgiram dois programas novos que eram produzidos por diversos funcionários, utilizando-se os poucos recursos disponíveis, mas mantendo-se o padrão de qualidade da RCI. Os programas Spectrum e Actualidades canadianas foram um sucesso e continuam no ar até ao momento.

Em 1992 a RCI recebeu a missão de produzir os programas dirigidos às Forças Armadas de Paz do Canadá em missão no Exterior. Estes programas seriam produzidos em Montreal e transmitidos por emissoras próprias nas diversas localidades espalhadas pelo mundo, mas com a automação e a redução de despesas, os programas passaram a ser emitidos também do Canadá pela própria RCI que definiu horários diferentes e uma programação completa que inclui estes programas na grelha de programação da emissora para o Exterior.

Na parte técnica, a Rádio Canadá Internacional continuou a investir os recursos disponíveis com a instalação de transmissores e novos equipamentos. Em determinados casos, optou-se por manter permutas com emissoras estatais estrangeiras para a utilização de transmissores nos diversos países que se interessaram pelo assunto, como Deutsche Welle (A Voz da Alemanha), ROI - Rádio Áustria Internacional, CRI - Rádio Internacional da China, KBS - Rádio Coréia Internacional e Rádio Monte Carlo, emissora estatal do Chipre.

Em contrapartida, um acordo de cooperação tecnológica entre a RCI e BBC de Londres, a RCI passou a utilizar também os transmissores da BBC no Reino Unido, no Parque de Transmissão de Skelton em 1992, onde a BBC também utilizaria os transmissores de Sackville no Canadá para emitir os seus programas para a América do Norte.

Embora a emissora tenha celebrado os seus 50 anos em 1995, havia uma grande incerteza sobre o futuro da emissora e dos seus programas para o Exterior. Movimentações internas nos vários níveis de governo, recomendavam que a RCI se mantivesse no ar e fosse totalmente apoiada pelo governo, incrementando ainda mais os seus programas e transmissões. Mas em dezembro de 1995, a Corporação Canadiana de Radiodifusão (CBC) anunciou que não teria mais como dividir os seus poucos recursos para a manutenção da RCI. A menos que uma nova injecção de dinheiro fosse feita, em 31 de Março de 1996 a emissora sairia do ar.

A campanha para salvar a Rádio Canadá movimentou a opinião pública, milhares de cartas de ouvintes ao redor do mundo foram enviadas para o governo em forma de protesto pelo fecho. A emissora encontrava-se numa posição crítica quando o Poder Executivo do governo canadiano acabou por declarar que a emissora não poderia morrer. Verbas e contribuições surgiam das diversas partes do governo e um valor significativo foi levantado para a manutenção da emissora. Por muito pouco a emissora não saiu do ar.

Após completar os seus 50 anos de prestação de serviços ao Mundo, a Rádio Canadá Internacional continua a projectar uma imagem positiva do Canadá para o mundo e a informar os cidadãos canadianos residentes no estrangeiro sobre oque ocorre no país.

Mesmo passando por diversas dificuldades, a emissora nunca se deixou abater pelos problemas e manteve-se activa todo o tempo. Nada mais importante a dizer do que um referendo público que a população canadiana conseguiu ganhar em prol da manutenção da emissora, que garantiu um orçamento de 15 milhões de dólares canadianos para a manutenção de toda a rece CBC/RCI no Canadá. Este dinheiro deverá ser usado para manter os serviços de rádio no ar e oferecer possibilidades para que a emissora encontre uma saída comercial para a sua própria manutenção.


Um boletim de programação completo da emissora pode ser solicitado pelo endereço:
Rádio Canadá Internacional
P.O Box : 6000
Montreal, Ontario
H3C 3A8 CANADÁ

Internet: http://www.rcinet.ca
E-mail: rci@montreal.radio-canada.ca



Faça um donativo!

Faça um donativo!

Agora é mais fácil com Paypal!

Com o paypal.me pode contribuir para o site em qualquer moeda e em qualquer valor com a segurança desta plataforma.

Clique aqui para ajudar com o que quiser, com o que poder.