Compreendendo o passado

Separadores primários


RARET - RADIO AMERICAN RETRANSMISSION


Foto do centro emissor da RARET



Compreendendo o passado

Um artigo do Jornal “Aurora do Ribatejo” datado de 7 de Outubro 1967, evidencia as relações da RARET com a Gloria do Ribatejo: o apoio e contributo para a constituição da Freguesia, doações de terrenos, criação de postos de trabalho, a escola, entre inúmeras acções que são aqui registadas neste artigo.

Trata-se de um documento importante para compreender o passado desta instituição, agora que tanto se fala no futuro:

“A população dessa pequena aldeia, que vivia num certo isolamento, devotava-se então na sua quase totalidade a actividades agrícolas e não foi com entusiasmo, diga-se em abono da verdade, que viu a chegada de um grupo de estranhos, com todos os seus maquinismos e hábitos de vida diferente.

Contudo, rapidamente se iniciaram relações entre a Raret e a população de Glória do Ribatejo que provaram ser em mútuo benefício e que resultaram na criação de fortes laços de confiança e amizade.

Entre o pessoal não especializado que a Raret foi recrutar a essa aldeia, bastantes elementos se evidenciaram pela sua inteligência natural, capacidade de adaptação e interesse em valorizar-se e foram treinados de modo a preencherem lugares que se foram criando no quadro do pessoal semi-especializado, da Companhia.

Hoje, dezasseis anos passados, verifica-se uma enorme mudança na composição profissional da população activa dessa aldeia, de que resultou uma forte melhoria do seu nível social e rendimento “per capita”.

Um anseio que a população de Glória há muitos anos acalentava – a criação da Junta de Freguesia de Glória do Ribatejo – teve finalmente a sua feliz concretização em 29 de Agosto do ano passado; a este facto, que denota sem dúvida um nítido progresso social, como oportunamente foi declarado por pessoas responsáveis, não foi estranha a presença da Raret naquela região, e um dos principais responsáveis pela realização desse sonho, e primeiro Presidente da Junta de Freguesia, é um funcionário distinto da Raret, um dos “imigrantes” de 1951, já há tempo Gloriano pelo coração.

A Raret é hoje para a Glória do Ribatejo mais do que uma simples fonte de emprego, é um amigo com possibilidades e que sempre está pronto a servir a quem recorre quando necessita de auxílio, seja ele a reparação de uma bomba de elevação de água, a colocação de um mastro festivo de grande altura, o empréstimo de um sistema de amplificação sonora, ou os primeiros socorros a um acidentado. Exemplos reais de factos passados.

Por outro lado a Glória do Ribatejo constitui para a Raret mais do que uma simples fonte de mão-de-obra, é um amigo com legítimas aspirações, a quem procura ajudar de maneira efectiva, dentro das suas possibilidades. Assim consciente das dificuldades com que a aldeia vizinha luta para assegurar a ascensão educativa e a assistência médica da sua população e convicta de que são esses os mais firmes alicerces de um futuro melhor, estudou a Raret firmemente a possibilidade de dar uma contribuição válida para a solução desses dois problemas, e que possa perdurar para além da sua presença actual.

Com base nesse estudo, que tomou em consideração as instalações que a Companhia possui e o pessoal que faz parte dos seus quadros, puseram-se em execução os dois planos seguintes:


I Educação

Foi naturalmente o ensino industrial que se escolheu para extensão da escolaridade primária já existente no Concelho, e, dentro do ensino industrial, os cursos de montador radiotécnico, montador electricista e serralheiro mecânico, dado o potencial docente de que a Raret podia dispor.

A – Telescola

Tirando partido da criação do Curso Unificado de Telescola, que proporciona habilitações equivalente ao Ciclo Preparatório do Ensino Técnico ou 1.º Ciclo Liceal, a Raret criou um Posto de Telescola, que recebeu o n.º 406, destinado a ministrar gratuitamente o ensino às crianças da Glória do Ribatejo, de harmonia com os programas do Instituto de Meios Áudio-Visuais de Ensino.

Este Posto, funcionou pela primeira vez no ano lectivo passado, com 25 alunos (máximo inultrapassável por sala); destes a provar o bom rendimento do ensino, 24 obtiveram aprovação.

Para estímulo dos alunos mais aplicados, assíduos e de bom comportamento, a Raret instituiu vários prémios. No ano lectivo que entra de 1967/68, o Posto terá pela primeira vez os dois anos da Telescola em funcionamento, com 25 alunos em cada um dos anos.

B - Escola Industrial

Afim de dar continuidade e sequência e a bem dizer para se atingir os fins que se propôs, a Raret criou a “Escola Industrial da Raret”, estabelecimento de ensino industrial particular, que funcionará pela primeira vez no próximo ano lectivo de 1967/68.

Esta escola criada dentro de normas e com a aprovação dos serviços competentes do Ministério da Educação Nacional, proporcionará os cursos de formação de montador radiotécnico, montador electricista e serralheiro mecânico; as habilitações necessárias para ingresso nela são o Ciclo Preparatório de uma Escola Técnica ou o Curso Unificado da Telescola.

O ensino será ministrado gratuitamente à população escolar do Concelho de Salvaterra de Magos.

Com esta finalidade, a Raret planeou e construiu um edifício próprio com as salas de aula e serviços necessários constando de 2 pisos, com área total coberta de aproximadamente 1000 m².

Dispõe de 7 salas de aula, 1 sala de desenho, 1 laboratório de física, 1 laboratório de química, 1 sala de leitura e 1 ginásio, além das instalações de Secretaria e Directoria.

As salas são amplas e dispõem de janelas rasgadas, proporcionando adequada iluminação natural e arejamento, conforme prescrevem os regulamentos oficiais.

Para a parte oficial dos cursos, são utilizadas as instalações do Centro Emissor, a pequena distância, e o seu equipamento.

O Corpo Docente é, na sua quase totalidade formado por funcionários da Sociedade, que muito gostosamente acederam a colaborar nesta iniciativa, sendo de realçar o extraordinário entusiasmo que esta decisão da Administração da Raret despertou no pessoal da Companhia.

O edifício da Escola, projecto do Departamento de Manutenção e Construções da Sociedade, foi construído pelo mesmo Departamento; iniciada a sua construção em 6 de Março do corrente ano, só graças ao excepcional interesse de todos foi possível concluí-lo a tempo de a Escola ser inaugurada no ano lectivo que entra.

A criação de uma Escola constitui um projecto que tem naturalmente, dificuldades de vária ordem; a boa vontade e a dedicação de muitos permitiram que elas fossem removidas; mesmo os que nele não participaram directamente, contribuíram com o seu apoio e incentivo para confirmar a ideia de causa justa que criou ambiente propício a um redobrar de esforços.


II Assistência Médica

Para poder prestar assistência médica aos seus servidores, e seus familiares em melhores condições do que vinha já fazendo e, ao mesmo tempo alargar noutro campo o seu programa de acção social às populações vizinhas, vai a Raret instalar um Posto Médico e Clínica, em edifício próprio, para onde transferirá os Serviços da Companhia, actualmente instalados no edifício do Centro Emissor.

O novo Posto Médico que, como se disse, poderá ser utilizado pelos residentes da Glória, passará a dispor, além da actual sala de consultas, de uma sala de partos, de uma sala de agentes físicos e de equipamento para radiografias e para electrocardiogramas. Disporá ainda de 2 quadros, para internamento temporário de doentes cujo estado não aconselhe transporte imediato para um Hospital.

O edifício, de um só piso está em adiantada fase de construção, e espera-se que o Posto Médico e Clínico possam muito brevemente entrar em funcionamento.

A Raret adquiriu também uma ambulância que pode ser utilizada pela população de Glória e de Marinhais, bastando para isso um pedido nesse sentido feito por um médico credenciado.

A Raret, por sua iniciativa e com o sentido de que cumpre um dever, procura colaborar na promoção social das populações vizinhas; e fá-lo naturalmente, nas áreas onde exerce a sua actividade, correspondendo às necessidades mais permanentes das respectivas populações."



Texto e fotos: Cortesia de Roberto Caneira

Comentários

O povo da Glória do Ribatejo tinha e tem direito à educação, à saúde e a uma vida melhor, sem o "beija mão" ao imperialismo dos Estados Unidos da América.


Faça um donativo!

Faça um donativo!

Agora é mais fácil com Paypal!

Com o paypal.me pode contribuir para o site em qualquer moeda e em qualquer valor com a segurança desta plataforma.

Clique aqui para ajudar com o que quiser, com o que poder.