Detalhes adicionais desta réplica

Separadores primários


DETALHES DE CONSTRUÇÃO DA RÉPLICA DO TRANSMISSOR DE ONDAS

 

Marco Aurelio Cardoso Moura

 

Clique nas imagens para as expandir

 


Diagrama


Diagrama funcional Original do Transmissor de Ondas - Pe. Roberto Landell de Moura


 

 

VEJA O MEMORIAL DESCRITIVO DE CONSTRUÇÃO E EM SEGUIDA AS FOTOS DE DETALHES

 

P.Alegre, 28 JUN 2004
Prezado Luiz.

Aquí vão mais alguns detalhes construtivos do transmissor.
Estou enviando também algumas fotos mais detalhadas ( em outro e.mail).

Um abraço
Moura.

 

* CAPACITOR MAIOR (LIGADO AO PRIMÁRIO DA BOBINA):
* Foram usadas 30 (trinta) lâminas de latão de 0,1 mm de espessura;
* Cada lâmina tem a dimensão de 29,00 cm x 13,5 cm;
* 15 lâminas ligam num polo do capacitor e as outras 15 no outro polo;

* Obs: Ao recortar as lâminas metálicas, é preciso deixar uma "orelha" num dos cantos inferiores de cada uma delas, permitindo assim que se faça a ligação dos dois polos do capacitor;

* Como dielétrico, intercalado entre as lâminas metálicas, foram usadas 30 folhas de papel "Kraft" de 0,15 mm de espessura;
* Cada folha de papel tem a dimensão de 30,5 cm x 14,5 cm;
* As folhas de papel "Kraft" foram, previamente, deixadas imersas em óleo isolante por 24 horas, deixadas penduradas para escorrer e secadas com um pano;
* Com todo esse conjunto de lâminas metálicas intercaladas com papel, foi feito um "sanduiche" com 2 (duas) placas de vidro de 6 mm de espessura e com as mesmas dimensões das folhas de papel;
* O "sanduiche" foi "prensado" com pedaços de madeira, parafusos e porcas, conforme se vê nas fotos;

* Obs: Quanto mais prensados forem os elementos do capacitor, maior é a capacitância (até que as lâminas de vidro se quebrem ! );

* Ligando todas as 30 lâminas [15] + [15], a capacitância ficou em torno de 0,54 uF (micro Farad) e a recepção se deu melhor em AM, abaixo dos 540 kz.


* CAPACITOR MENOR ( LIGADO EM PARALELO COM AS ESFERAS DE CENTELHAMENTO ):
* Foram usadas apenas 2 (duas) lâminas de latão de 0,1 mm de espessura;
* Cada lâmina tem a dimensão de 14,5 cm x 8,0 cm;
* Como dielétrico, intercalado entre as duas lâminas metálicas, foi usada 1 (uma) placa de vidro de 5 mm de espessura, medindo 18,0 cm x 11,0 cm;
* Com esse conjunto lâmina / vidro / lâmina foi feito um "sanduíche" com 2 (duas) placas de vidro idênticas à usada entre as duas placas;
* A fixação/prensagem se deu de forma análoga ao capacitor anteriormente descrito;
* Obs: Observar que neste capacitor, por trabalhar com alta tensão, o dielétrico precisa ser bem maior que as placas metálicas pois, caso contrário, saltaria uma faísca para fora do capacitor, a qual faria uma curva e descarregaria na outra placa;

* Assim construído, a capacitância ficou em torno de 182 pF (pico Farad).


* BOBINA LIGADA AO FONE DE MONITORAÇÃO DO SINAL:
* Como já dispunha de um fone de 147 OHM, muito antigo, fabricado no final do século XIX, procurei construir uma bobina que se adequasse a ele;
* Consegui um núcleo de ferro, com formato cilíndrico e com um furo longitudinal (este núcleo foi retirado de uma antiga pistola de soldar da marca "Osledi")
* Experimentei vários tipos de enrolamentos para primário e secundário;
* Ocorre que, a cada experimentação, era necessário desmontar todo o microfone, o que implicava separar peças coladas e/ou soldadas e, evidentemente, refazer tudo (isolamento, enrolamentos, colagens e soldas);
* Com base no circuito constante da Patente, entendo que não existem razões técnicas para que a bobina fosse colocada dentro do corpo do microfone. Esse detalhe, mais o fato de que o eixo do microfone deve atravessar a bobina longitudinalmente, constituem-se em enormes dificultadores construtivos que só se justificam, salvo melhor juízo, por razões estéticas;
* Assim, resolví usar um pequeno transformador, externamente, o qual foi calculado especificamente para impedância do fone de 147 OHM.
* O transformador foi feito com 1 (uma) espira no primário e 1000 (mil) espiras no secundário. A única espira do primário foi feita com um feixe de 5 fios AWG 15. Para o secundário foi usado fio AWG 33. Para a estrutura do transformador foi usada ferragem de 16 x 22 mm;
* Obs: Os dados aqui informados devem ser entendidos como válidos, tão somente, para o caso relatado. Na prática, a bobina ou transformador de impedância devem ser calculados com base na resistência do fone e levar em consideração, também, a resistência de todo o circuito e as correntes produzidas.



Detalhe do Capacitor Maior - ligado ao primário do transformador


Ligando todas as 30 lâminas [15] + [15], a capacitância ficou em torno de 0,54 uF (micro Farad) e a recepção se deu melhor em AM, abaixo dos 540 kz.



Vista Superior dos Dois Capacitores


Capacitor maior ligado no primário do trafo e o capacitor menor

ligado no secundário do trafo - Assim construído, a capacitância ficou em torno de 182 pF (pico Farad).



Vista Superior Geral



Detalhe do Microfone Fonético



Vista Superior do Microfone


Microfone aberto, mostrando o diafragma de madeira e contacto radial



O diafragma


Parte inferior mostrando o ponto de contacto eléctrico com o eixo



O diafragma


(Pparte superior - mostrando o contacto radial de 3 pontas)


DETALHES DE CONSTRUÇÃO DA RÉPLICA DO TRANSMISSOR DE ONDAS

 

Marco Aurelio Cardoso Moura

 

Clique nas imagens para as expandir

 

 

Diagrama

 

Diagrama funcional Original do Transmissor de Ondas - Pe. Roberto Landell de Moura

 

 

 

VEJA O MEMORIAL DESCRITIVO DE CONSTRUÇÃO E EM SEGUIDA AS FOTOS DE DETALHES

 

P.Alegre, 28 JUN 2004
Prezado Luiz.

Aquí vão mais alguns detalhes construtivos do transmissor.
Estou enviando também algumas fotos mais detalhadas ( em outro e.mail).

Um abraço
Moura.

 

* CAPACITOR MAIOR (LIGADO AO PRIMÁRIO DA BOBINA):
* Foram usadas 30 (trinta) lâminas de latão de 0,1 mm de espessura;
* Cada lâmina tem a dimensão de 29,00 cm x 13,5 cm;
* 15 lâminas ligam num polo do capacitor e as outras 15 no outro polo;

* Obs: Ao recortar as lâminas metálicas, é preciso deixar uma "orelha" num dos cantos inferiores de cada uma delas, permitindo assim que se faça a ligação dos dois polos do capacitor;

* Como dielétrico, intercalado entre as lâminas metálicas, foram usadas 30 folhas de papel "Kraft" de 0,15 mm de espessura;
* Cada folha de papel tem a dimensão de 30,5 cm x 14,5 cm;
* As folhas de papel "Kraft" foram, previamente, deixadas imersas em óleo isolante por 24 horas, deixadas penduradas para escorrer e secadas com um pano;
* Com todo esse conjunto de lâminas metálicas intercaladas com papel, foi feito um "sanduiche" com 2 (duas) placas de vidro de 6 mm de espessura e com as mesmas dimensões das folhas de papel;
* O "sanduiche" foi "prensado" com pedaços de madeira, parafusos e porcas, conforme se vê nas fotos;

* Obs: Quanto mais prensados forem os elementos do capacitor, maior é a capacitância (até que as lâminas de vidro se quebrem ! );

* Ligando todas as 30 lâminas [15] + [15], a capacitância ficou em torno de 0,54 uF (micro Farad) e a recepção se deu melhor em AM, abaixo dos 540 kz.

 

* CAPACITOR MENOR ( LIGADO EM PARALELO COM AS ESFERAS DE CENTELHAMENTO ):
* Foram usadas apenas 2 (duas) lâminas de latão de 0,1 mm de espessura;
* Cada lâmina tem a dimensão de 14,5 cm x 8,0 cm;
* Como dielétrico, intercalado entre as duas lâminas metálicas, foi usada 1 (uma) placa de vidro de 5 mm de espessura, medindo 18,0 cm x 11,0 cm;
* Com esse conjunto lâmina / vidro / lâmina foi feito um "sanduíche" com 2 (duas) placas de vidro idênticas à usada entre as duas placas;
* A fixação/prensagem se deu de forma análoga ao capacitor anteriormente descrito;

* Obs: Observar que neste capacitor, por trabalhar com alta tensão, o dielétrico precisa ser bem maior que as placas metálicas pois, caso contrário, saltaria uma faísca para fora do capacitor, a qual faria uma curva e descarregaria na outra placa;

* Assim construído, a capacitância ficou em torno de 182 pF (pico Farad).

 

* BOBINA LIGADA AO FONE DE MONITORAÇÃO DO SINAL:
* Como já dispunha de um fone de 147 OHM, muito antigo, fabricado no final do século XIX, procurei construir uma bobina que se adequasse a ele;
* Consegui um núcleo de ferro, com formato cilíndrico e com um furo longitudinal (este núcleo foi retirado de uma antiga pistola de soldar da marca "Osledi")
* Experimentei vários tipos de enrolamentos para primário e secundário;
* Ocorre que, a cada experimentação, era necessário desmontar todo o microfone, o que implicava separar peças coladas e/ou soldadas e, evidentemente, refazer tudo (isolamento, enrolamentos, colagens e soldas);
* Com base no circuito constante da Patente, entendo que não existem razões técnicas para que a bobina fosse colocada dentro do corpo do microfone. Esse detalhe, mais o fato de que o eixo do microfone deve atravessar a bobina longitudinalmente, constituem-se em enormes dificultadores construtivos que só se justificam, salvo melhor juízo, por razões estéticas;
* Assim, resolví usar um pequeno transformador, externamente, o qual foi calculado especificamente para impedância do fone de 147 OHM.
* O transformador foi feito com 1 (uma) espira no primário e 1000 (mil) espiras no secundário. A única espira do primário foi feita com um feixe de 5 fios AWG 15. Para o secundário foi usado fio AWG 33. Para a estrutura do transformador foi usada ferragem de 16 x 22 mm;

* Obs: Os dados aqui informados devem ser entendidos como válidos, tão somente, para o caso relatado. Na prática, a bobina ou transformador de impedância devem ser calculados com base na resistência do fone e levar em consideração, também, a resistência de todo o circuito e as correntes produzidas.

 

 

Detalhe do Capacitor Maior - ligado ao primário do transformador

 

Ligando todas as 30 lâminas [15] + [15], a capacitância ficou em torno de 0,54 uF (micro Farad) e a recepção se deu melhor em AM, abaixo dos 540 kz.

 

 

Vista Superior dos Dois Capacitores

 

Capacitor maior ligado no primário do trafo e o capacitor menor

ligado no secundário do trafo - Assim construído, a capacitância ficou em torno de 182 pF (pico Farad).

 

 

Vista Superior Geral

 

 

Detalhe do Microfone Fonético

 

 

Vista Superior do Microfone

 

Microfone aberto, mostrando o diafragma de madeira e contacto radial

 

 

O diafragma

 

Parte inferior mostrando o ponto de contacto eléctrico com o eixo

 

 

O diafragma

 

(Pparte superior - mostrando o contacto radial de 3 pontas)

 

 

Vista superior do microfone

 

Aberto, sem o diafragma

 

 

Vista Lateral

 

Capacitor - Detalhe Microfone Fonético

 

 

Vista conexão terminais dos capacitores

 

 

Detalhe do fone

 

Monitoramento de sinal
Detalhes dos Capacitores

 

 

Detalhe superior

 

Microfone - Fonético

 

 

Detalhe do fechamento do microfone

 

(tracionamento com 3 molas)



Vista superior do microfone


Aberto, sem o diafragma



Vista Lateral


Capacitor - Detalhe Microfone Fonético



Vista conexão terminais dos capacitores



Detalhe do fone


Monitoramento de sinal
Detalhes dos Capacitores



Detalhe superior


Microfone - Fonético



Detalhe do fechamento do microfone


(tracionamento com 3 molas)


Comentários

Quiero felicitarte por el trabajo que has hecho para reivindicar la paternidad de la invención de la radio por parte de Roberto Landell de Moura.
Recibe mis saludos desde República Argentina.
Edgardo maffía (LU1-AR))

isso quer dizer que a descarga eletrica provoca uma onda de radio? desculpe mas sou leigo no assuto e parabens pelas pesquisas um abraco


Faça um donativo!

Faça um donativo!

Agora é mais fácil com Paypal!

Com o paypal.me pode contribuir para o site em qualquer moeda e em qualquer valor com a segurança desta plataforma.

Clique aqui para ajudar com o que quiser, com o que poder.