Cronograma dos acontecimentos

Separadores primários


CRONOGRAMA DA TRAGÉDIA



Imagem do Titanic


14 de Abril, domingo
9:00 - A primeira mensagem a relatar a presença de gelo é recebida pelo Titanic proveniente do S.S. Caronia notificando a presença de campos de gelo em 42o N, de 49o a 51o W, avistados em 12 de Abril.
Alguns passageiros notam blocos de gelo a passar pelo navio ao longo da manhã.

10:30 - A missa de domingo é realizada no salão de jantar da primeira classe.

11:40 - O vapor holandês Noordam relata a presença de muito gelo aproximadamente na mesma posição da relatada pelo Caronia.

12:00 - Na asa da ponte de navegação é medida a posição do navio com o sextante, e registada a distância percorrida "546 milhas (878,6 km) desde o meio-dia de sábado".

13:42 - S.S. Baltic envia a terceira mensagem recebida pelo Titanic a avisar da existência de icebergs e grande quantidade de gelo em 41o51' N e 49o52'W, 402.3 km à frente do Titanic.
O capitão Smith passa a mensagem a Ismay, que a guarda. Posteriormente a mostraria a alguns passageiros.

13:45 - S.S. Amerika, da Alemanha, e o navio mais próximo de Cape Race, Newfoundland, envia a quarta mensagem recebida. Talvez a mensagem mais importante: , relatava a presença de dois grandes icebergs em 41o27'W e 50o8'W, observados no mesmo dia. Esta mensagem nunca chegou a ponte de comando, Possivelmente Jack Phillips, operador do telégrafo do Titanic, não teve tempo para a enviar ao capitão uma vez que o aparelho de telégrafo avariou pouco após a recepção desta mensagem, com um curto-circuito no secundário do transformador que elevava a tensão para 20.000Volts, tendo Phillips e Bride, seu substituto, passado grande parte do dia (mais de 6 horas) a consertar o aparelho.

17:50 - O Capitão Smith altera o curso do Titanic um pouco para sudoeste, talvez para evitar a presença de gelo.

18:00 - O segundo oficial Lightoller substitui o oficial chefe Wilde na ponte.

19:15 - O primeiro oficial Murdoch ordena o fecho da escotilha do castelo de proa para que a luminosidade de dentro não interfira com os vigias no cesto da gávea.

19:30 - Chega a quinta mensagem, transmitida do S.S. Californian para o S.S. Antillian indicando a presença de três grandes icebergs ao sul da sua posição em 42o3'N e 49o 9'W, aproximadamente 80 km à frente do Titanic.
A temperatura do ar é registada como 0,5oC, 6 graus a menos que a registada as 17:30.

20:40 - O segundo oficial Lightoller ordena uma vistoria no fornecimento de água fresca, uma vês que a água do mar está próxima da temperatura de congelação (da água doce).

20:55 - O capitão retira-se após o jantar e vai até a ponte onde conversa com o oficial de guarda, segundo oficial Lightoller, sobre o tempo calmo e a noite clara a pesar da falta da lua, assim como a visibilidade de icebergs durante uma noite sem luar.
O Titanic viaja a 22 nós com 24 de suas 29 caldeiras activadas.

21:20 - O Capitão retira-se para o seu quarto, dando ordens para ser acordado se algo acontecer.

21:30 - Lightoller manda os vigias no cesto da gávea ficarem alertas para icebergs até a manhã.

21:40 A sexta mensagem é recebida pelo Titanic proveniente do S.S. Mesaba relatando grande quantidade de gelo e grandes icebergs de 41oN a 41o25'N e de 49oW a 50o30'W, nas proximidades do Titanic.
Novamente esta mensagem não chegou até a ponte. Supõe-se que Phillips estava muito ocupado a trocar mensagens de passageiros com Cape Race para poder deixar a sala de telégrafo e levar a mensagem até a ponte.
No total, seis mensagens alertam o Titanic da presença de um grande campo de gelo directamente à frente.

22:00 - O primeiro oficial William Murdoch assume a guarda, dispensando Lightoller. É feita a troca de vigias. Os que entram são informados que devem ficar atentos a icebergs.
A temperatura do ar é agora de 0o C. o céu está sem nuvens e a noite está clara.

22:30 - A temperatura do mar é agora de -2oC 22:55O S.S.Californian, parado num campo de gelo ao norte do Titanic envia a última mensagem recebida pelo Titanic. Phillips, operador de telégrafo do Titanic corta a mensagem do Californian, avisando que estava em contacto com Cape Race.
O operador do Californian continua a ouvir as mensagens do Titanic até as 23:30.

23:30 - O único operador de telégrafo do S.S. Californian, termina o seu serviço do dia, desliga o seu equipamento e vai para a cama como de costume.
Frederick Fleet e Reginald Lee, vigias da noite, assumem os seus postos para observar o mar à frente e avisar a ponte de qualquer perigo iminente. Sem binóculos, eles esforçam-se para poder ver qualquer perigo, quando notam uma indistinta sombra a aparecer mesmo à frente

23:40 - Inesperadamente Fleet, observa uma grande forma escura indistinta elevando-se 18 metros acima da superfície e que reconhece como sendo a ponta de um iceberg a aproximadamente 460 metros a frente, e rapidamente toca o sino de aviso três vezes e imediatamente avisa a ponte, " iceberg directamente a frente". O sexto oficial Moody na ponta recebe a mensagem e imediatamente a passa a Murdoch o qual ordena tudo a estibordo no timão enquanto pelo telégrafo de bordo ordena a paragem seguida de reversão total dos motores.
Levará ainda alguns segundos para o imenso navio iniciar a sua curva à esquerda. Infelizmente, devido aos poucos testes realizados com o navio, não se sabia quanto tempo, nem qual a distancia necessária para que realizasse tal manobra.
Após a proa virar dois pontos (10 graus), o iceberg atinge o navio directamente a estibordo gerando um tremor sentido por todo o navio. Murdoch imediatamente Fecha asportas a prova de água a baixo da linha de água fechando os compartimentos estanques e prendendo para sempre muitos trabalhadores no interior do Titanic.
À 22 nós, a colisão dura apenas 10 segundos, mas o suficiente para causar sérios danos estruturais ao casco.
No total foram apenas 38 segundos entre a vista e o final da colisão
O impacto é notado por vários passageiros como um tremor seguido por um rangido metálico.

23:41 - O Capitão chega a ponte onde recebe o relatório do acontecido.
É ordenada a paragem total dos motores.

23:50 - 10 minutos após a colisão a água já atinge 4 metros acima da quilha e inunda completamente todos os compartimentos danificados à excepção da casa das caldeiras número 5. O iceberg danificou o casco cerca de 3 metros acima da quilha e numa distancia de aproximadamente 92 metros. A água entra rapidamente pelo porão de vante, pelos porões de carga 1, 2 e 3, e pelas salas das caldeiras 5 e 6, na qual apresenta 8 pés de água.
Os motores são colocados em "à frente devagar".

15 de Abril, segunda-feira:
0:00 - O Capitão chega a ponte onde recebe o relatório do acontecido.
é ordenada paragem total dos motores.
A sala dos correios, 24 pés acima da quilha está a ser alagada.
As caldeiras são fechadas e o excesso de vapor escapa por válvulas de segurança no topo das chaminés. O Capitão chama T. Andrews e ambos descem aos convés inferiores para verificar os danos. Não demora a Andrews perceber que a grande extensão dos danos condenou o seu navio à morte e que logo estaria sob as águas.
Andrews calcula que restam apenas uma a uma hora e meia antes do fim. Este cálculo baseia-se no facto de que com 5 compartimentos alagados, a água começará a transbordar por cima das anteparas alagando os compartimentos seguintes.
É ordenado à engenharia "devagar à ré" com os motores.
A quadra de squash, 9,7 metros acima da quilha começa a alagar.
O capitão ordena ao oficial chefe Wilde que os botes salva-vidas sejam descobertos e preparados.

00:15 - O Capitão Smith ordena a Phillips que inicie o envio de pedidos de socorro. Este faz inicialmente com o sinal padrão de socorro da época, CQD, seguido pelo código do Titanic, MGY, e pela localização estimada do navio, 41o46'N e 50o14'W.
Os botes salva-vidas começam a ser preparados e ordena-se aos passageiros que passem para os conveses externos com coletes salva-vidas.
A banda começa a tocar musicas alegres de ragtime na sala de estar da primeira classe do convés A, dirigindo-se posteriormente ao convés de barcos, próximo à entrada de bombordo da grande escadaria.

00:18 - O vapor alemão Frankfort é o primeiro navio a responder aos pedidos de socorro, seguido pelo canadiano Mt Temple, pelo Virginian e pelo russo Burma.

00:20 - São dadas ordens para os passageiros começarem à entrar nos botes salva-vidas. O Titanic começa a apresentar uma inclinação e a sua proa inicia o seu mergulho na água gelada.

00:25 - O S.S. Carpathia, que se dirigia de Nova Iorque para Liverpool, é finalmente contactado a 94 km de distância.
Arthur H. Rostron, capitão do Carpathia, imediatamente altera o seu curso e ruma a máxima velocidade para o Titanic. A sua velocidade máxima de 17,5 nós permite que chegue ao local apenas 4 horas após receber o pedido de socorro.
Os botes salva-vidas começam a ser baixados sob grande desorganização devido ao alto ruído do vapor das caldeiraslibertando-se. Lightoller, segue fielmente as ordens de embarcar apenas mulheres e crianças, enquanto que Murdoch permite que, após todas as mulheres e crianças sozinhas terem embarcado, casais embarquem seguidos por homens solteiros.

00:34 - O Frankfort avisa que está a 241 km de distância. O Olympic, irmão gémeo do Titanic é contactado a 805 km de distância.

00:45 - Bride sugere a Phillips que mude para o novo sinal de socorro, S.O.S., sendo esta a primeira vez que seria utilizado.
Na ponte, a visão de luzes de outro navio no horizonte faz com que o quarto oficial Joseph G. Boxhall, inicie o lançamento de foguetes de sinalização na esperança que sejam vistos.
Os foguetes continuam a ser lançados até 1:45 num total de oito. A luz de sinalização do Titanic também é accionada.
O navio chega a aproximar-se do Titanic o suficiente para que as suas luzes de navegação sejam vistas. Em seguida muda de curso e afasta-se.
O primeiro bote salva-vidas (no 7, estibordo) é descido com apenas 27 pessoas.
O bote no 4, bombordo, começa a ser carregado.

00:55 - O bote no 6, bombordo é descido com 28 pessoas a bordo, incluindo Molly Brown e o Major Peuchen.
O bote no5, estibordo, é descido com apenas 41 pessoas. O quinto oficial Lowe ordena que J. B. Ismay se afaste pois está a atrapalhar o seu trabalho.

1:00 - O bote salva-vidas no 3, estibordo, desce com 32 pessoas, sendo 11 tripulantes. Este foi o 4o bote a ser descido.

1:10 - O bote de emergência no 1, estibordo, desce com apenas 12 pessoas incluindo Sir Cosmo e Lady Duff Gordon e 7 tripulantes. Este foi o 5o bote a ser descido.
O bote no8 de bombordo é descido com 39 pessoas.

1:15 - A inclinação do convés fica maior. São dadas ordens para que os botes salva-vidas sejam descidos mais cheios. Thomas Andrews exerce importante papel ajudando a descer os botes e fazendo com que sejam devidamente cheios.
A água já atinge o nome do Titanic pintado na proa. O Titanic começa a inclinar para bombordo.

1:20 - O bote no 10 desce com 47 pessoas. Uma forte inclinação para estibordo é notada.

1:25 - O bote no 16 de bombordo é descido com 42 pessoas. Desce o bote no 14 com 60 pessoas à bordo, incluindo o quinto oficial Lowe, que é forçado a disparar três tiros para o ar a fim de evitar que outros passageiros saltem para o bote já cheio.

1:30 - O pânico começa a formar-se entre os passageiros ainda à bordo. Os pedidos de socorro começam a indicar sinais de desespero.
Descem os botes nos 9 e 12.

1:35 - Desce o bote no 11.

1:40 - A maioria dos botes à vante já foram descidos, os passageiros buscam os botes à ré.
O bote desmontável C desce com 32 pessoas, incluindo J. Bruce Ismay, sendo este o último bote de estibordo a ser descido.
O bote de estibordo no 13 desce com 54 pessoas, principalmente da segunda e terceira classe. A seguir é descido o no 15 com 57 pessoas. Este bote quase colide com o no 13 que estava abaixo.
é lançado o ultimo foguete sem que se consiga contacto com o navio visto.

1:45 - O bote de emergência no 2 desce com 20 pessoas. Este foi o 15 o bote a ser descido.
As ultimas palavras ouvidas do Titanic pelo Carpathia "sala de maquinas e caldeiras alagadas".

1:50 - O bote salva-vidas no 4 desce com 34 pessoas. Este foi o 16o bote a ser descido. J.J. Astor é proibido de entrar com a sua esposa.

2:00 - A água já está a 3 metros abaixo do convés A. O chefe da banda, Wallace Henry Hartley, começa a tocar " Mais perto de Ti Senhor", o qual dizia que seria o hino do seu funeral.
Para manter o controlo durante o lançamento do desmontável D, Lightoller agita a sua pistola no ar (talvez tenha atirado) e os membros da tripulação formam um circulo ao seu redor para garantir que somente mulheres e crianças entrem neste bote.

2:05 - Desce o desmontável D com 44 pessoas, o último bote salva-vidas a ser descido. A inclinação do navio fica maior e a água já atinge o convés A.
Aproximadamente 1.500 pessoas ainda estão a bordo.
O castelo de proa está totalmente submerso e a inclinação dos conveses fica maior.
O Capitão Smith liberta Phillips e Bride das suas funções.
Phillips continua a enviar pedidos de socorro por mais alguns minutos.
Ao caminhar para a ponte, repete para vários tripulantes que "é cada homem por si mesmo".
A banda toca "Outono".

2:10 - Phillips envia o último pedido de socorro.
Thomas Andrews é visto sozinho na sala de fumadores da primeira classe a olhar o vazio.

2:15 - A ponte mergulha na água que começa a tomar o convés de botes. O movimento para a frente do Titanic gera ondas que varrem o convés. Uma delas atira Murdoch para dentro da água onde vem a morrer afogado ou esmagado pela chaminé 1 que cai logo em seguida.

2:17 - A popa está completamente fora de água, e a forte inclinação faz com que a primeira chaminé caia para a frente, matando muitas pessoas que se encontravam na água. O bote desmontável B é carregado para fora pela água.
A proa mergulha em direcção ao fundo enquanto centenas de passageiros da 2a e 3ª classe ouvem o padre Thomas Byles reunidos no final do convés de botes.
Muitos passageiros e tripulantes saltam para fora do Titanic.
O desmontável A flutua livre para fora com o fundo virado para cima e perigosamente sobrelotado. Lowe no bote 14 resgata-os antes do amanhecer, embora possivelmente metade das pessoas a bordo tenha morrido durante a noite e caído à água.
A banda pára de tocar

2: 18 - As luzes piscam e apagam-se definitivamente.
Um grande barulho é ouvido enquanto os objectos soltos do interior do navio caem em direcção à proa.
A grande tensão no casco quebra o Titanic em dois. A popa retorna a sua posição horizontal e , puxada pela proa, sobe rapidamente no ar até ficar completamente perpendicular.

2:20 - A inclinação da popa diminui conforme o Titanic desaparece sob as águas do Atlântico Norte. Muitas pessoas ainda se mantêm vivas boiando na superfície, os seus gritos de angústia diminuindo lentamente até se transformarem num longo e contínuo canto de lamentação.
Misericordiosamente em pouco menos de 10 minutos a morte por congelamento atinge-os, poupando-os do afogamento.
Após unir os botes 4,10, 11 e o desmontável C e passar os sobreviventes do bote 14 para estes outros, o quinto oficial Harold Lowe retorna para procurar sobreviventes. Mas chega tarde e somente três pessoas são encontradas ainda vivas, Jack Stewart, camareiro, William F. Hoyt, da primeira classe e um homem japonês da terceira classe. William F. Hoyt viria a falecer em seguida.
Mais tarde o bote no 12 é sobrecarregado com 70 pessoas provenientes de outros botes.

3:30 - Os foguetes de sinalização do Carpathia são vistos pelos botes salva-vidas.

4:10 - O primeiro salva-vidas, o no 2, chega ao Carpathia.
Gelo e destroços misturam-se na água no local do naufrágio.

5:30 - Após ser avisado pelo Frankfurt do desastre, o Californian dirige-se para o local onde chegará três horas depois.

5:30 a 6:30 - Os sobreviventes do desmontável A são resgatados pelo bote 14, e os do desmontável B pelos botes 4 e 12.

8:30 - O último bote salva-vidas (no 12) é recolhido. Lightoller é o último sobrevivente a entrar no Carpathia.
O Californian chega próximo do Carpathia, e dirige-se para o local do naufrágio para procurar mais sobreviventes, mas não há mais ninguém a ser salvo.

8:50 - O Carpathia parte para Nova Iorque com 705 sobreviventes. é estimado que 1523 pessoas perderam a vida na tragédia.
Pelo telégrafo do Carpathia, J. B. Ismay envia a seguinte mensagem para os escritórios da White Star em Nova Iorque:
"Com profundo pesar aviso-os que o Titanic afundou esta manhã após colidir com um iceberg, resultando em séria perda de vidas. Mais detalhes depois."

17 de Abril - A White Star contrata o Mackay-Bennet em Halifax para procurar corpos na área do desastre.

18 de Abril, 21:00 – O Carpathia e os sobreviventes do Titanic chegam à Nova Iorque. Conforme passa pela Estátua da Liberdade, 10.000 pessoas estão presentes para o esperar.
Passa pelo cais 45 da Cunard e segue rio acima para o cais da White Star, onde os botes do Titanic estão pendurados no seu lado são descidos. Em seguida ruma para o cais da Cunard para que os sobreviventes desçam.
Dezenas de repórteres estão a aguardar notícias.

19 de Abril - é iniciado o inquérito pelo Senado dos Estados Unidos sobre o desastre. O Senador William A. Smith é o presidente. São ouvidas 82 testemunhas.

22 de Abril - O Minia junta-se ao Mackay-Bennet na busca de corpos.

24 De Abril - Quando o Olympic está para sair de Southampton, os seus fogueiros entram em greve exigindo botes salva-vidas suficientes. 285 membros da tripulação abandonam o navio e a viagem é cancelada.

2 de Maio - é iniciado o inquérito da Câmara do Comércio da Inglaterra. 96 testemunhas são chamadas.

6 de Maio - A White Star envia o Montmagny, de Sorel, Quebec, para ajudar a procurar corpos

15 de Maio - O Algerine é enviado para procurar mais corpos.

25 de Maio - é encerrado o inquérito do senado americano.

12 de Junho - São encerradas as buscas de corpos. As últimas vítímas são enterradas em Halifax.

3 de Julho - é encerrado o inquérito da Câmara do Comércio da Inglaterra.
No total foram feitas 25.622 perguntas para as 96 testemunhas. Destas apenas três eram passageiros do Titanic, Sir Cosmo Duff Gordon e esposa e J. B. Ismay.
Foram também chamados o inventor do telégrafo sem fio, Sr. Marconi, e o explorador Sir Ernest Shackleton para testemunhar sobre o gelo e "icebergs".
O capitão Lord do Californian é chamado para responder a 1.600 perguntas.
Membros da tripulação, os proprietários do navio e membros da Câmara do Comércio da Inglaterra também são chamados.
O veredicto final recomenda que existam mais compartimentos à prova de água em navios transatlânticos, botes salva-vidas para todos a bordo e melhores vigias.

Comentários

Porquê nada bate certo com outros relatos?
Afinal, quantos avisos de icebergs foram emitidos, e a que horas? Acabei de vir da exposição onde infomavam um aviso ás 22.55 do Californian. A que horas se deu o embate?
Conferi no filme do Cameron que dizem que 6 pessoas foram resgatadas com vida da água. Aqui só mencionam 3. Em quem acreditar? Afinal, porque não existe uma fonte fidedigna destes factos, tão estudados até a exaustão? Guio-me também por documentários, mas me surpreende a quantidade de informação dispare. Até o tal aviso de SOS, se consultar a wikipédia (bem sei, não é a melhor fonte de informação) lá vem escrito que esta NÃO FOI a primeira vez que o código MORSE SOS foi utilizado.

CUmprimentos

No filme, é relatado apenas alguns sobreviventes fora dos botes, porém devemos levar em conta, que supostamente Rose DeWitt Bukater e Jack Dawson foram personagens criados para enfatizar a trama, e consequentemente tornar toda tragédia um pouco mais romantica, assim como dito em várias revistas no dia 19 de março de 1998.


Faça um donativo!

Faça um donativo!

Agora é mais fácil com Paypal!

Com o paypal.me pode contribuir para o site em qualquer moeda e em qualquer valor com a segurança desta plataforma.

Clique aqui para ajudar com o que quiser, com o que poder.