Julho 2020

Relatadores de futebol

O relatador de futebol não é como o cantor de ópera, mas tem de aguentar 90 minutos a relatar o jogo com voz imponente. Não é escritor ou poeta mas elabora expressões de forte densidade e emoção. Num jogo, o relatador classificou um jogador em campo como cientista da bola e inventor. Num dado momento, quando os adeptos atiraram fruta para o terreno, o relatador dizia estar-se num supermercado, ou melhor, numa grande superfície. A cada golo ou tentativa de golo, ele gritava, exultava, prolongava a duração das palavras, ria, quase chorava.

Fotos: 
Imagem: 
Na fotografia, Daniel Rodrigues

Patricia Traunter e a BBC de Fernando Pessa

Patricia Traunter viajava no navio inglês Avila Star quando este foi torpedeado por um navio de guerra alemão em setembro de 1942. O barco afundou-se mas houve tempo para lançar uma baleeira a transportar 39 sobreviventes. Estes andaram perdidos no oceano Atlântico durante 20 dias até serem resgatados pelo navio português Pedro Nunes. Salvaram-se 27 desses passageiros.

Fotos: 
Imagem: 
Patricia Traunter
Outra imagem de Patricia Traunter
Outra imagem de Patricia Traunter

Uma canção de Moniz Trindade

Moniz Trindade foi cantor de jazz, canção e fado, ligado ao grupo de artistas da rádio da Emissora Nacional. Do seu repertório, incluiu-se “Feiticeiro do Amor”. A letra, aos olhos de hoje, é muito ingénua, mas provocou reações na época em que a música foi lançada [observação: na escuta da canção, não consegui perceber duas palavras, que aparecem entre parêntesis reto com reticências]: “Vinde a mim, raparigas / Se querem casar. / Eu sou sábio em coisas de amor, / Sei as lindas cantigas / Das penas de amar. / Sei fazer casamentos sem dor, / Molhar num sorriso, num beijo.

Fotos: 
Imagem: 
Na imagem, Manuel Bivar, António Eça de Queirós e Armando Stichini Vilela

Fortes e Rangel (1965)

Em 1965, José Fortes e Fernando Rangel formaram o estúdio de gravação Fortes & Rangel, à rua da Póvoa, 459 (Jornal de Notícias, 19 de abril de 1965) e admitiram um terceiro sócio, engº António Nunes ainda no mesmo ano (Diário do Governo, III Série, 4 de novembro de 1965), elevando o capital social de 50 mil para 225 mil escudos (mais de 87 mil euros a preços de 2018). Foi um estúdio de gravação muito importante no Porto de então. José Fortes tinha 22 anos.

Fotos: 
Imagem: 
Imagem alusiva ao tema
Outra imagem alusiva ao tema
Outra imagem alusiva ao tema