Nova plataforma de registo do DMR ID

Separadores primários

As comunicações entre estações de amador em modo digital obrigam à utilização de um ID por operador, um código numérico que substitui o indicativo alfanumérico tradicional.
Isto acontece porque, para um computador letras e números são uma abstração.
De um modo geral, e não só nas nossas comunicações digitais, existe a necessidade de transformar a nossa linguagem em algo que seja entendido por uma máquina.
Isto já não é assim só desde o tempo dos computadores. Podemos arranjar uma analogia interessante que remete ao tempo dos telefones.
Os números discados num dial correspondiam a um determinado número de impulsos elétricos na central telefónica.
A interpretação desses impulsos resultaria numa ligação entre dois pontos com sucesso.
Para o utilizador esse detalhe pouco importava. Para ele bastaria introduzir a sequência de números certa. O resto era feito pelo sistema.
Estávamos ainda na era analógica, mas este conceito evoluiu para os sistemas digitais, muito mais complexos e em que as necessidades de interação e diálogo homem-máquina são infinitamente maiores.
A web, que usamos todos os dias digitando tantos e tantos endereços de sites ou de correio eletrónico, é o melhor exemplo dessa abstração entre um endereço de texto, algo como, por exemplo, ct1fiy.aminharadio.com, e uma sequência de números, organizados em blocos e que são, de facto, o endereço a que o computador, tablet, etc, se está a ligar.
O endereço que digitamos é o nome amigável para um IP numérico que teríamos de saber de cor ou a partir de uma lista.
Esta magia acontece graças a uma coisa chamada DNS, Domain Name System, um engenhoso sistema que converte os tais nomes amigáveis em endereços de IP, começando no seu dispositivo de acesso, estende-se ao seu provedor de Internet e segue em frente em busca da correspondência entre o endereço que digitou e o correspondente conjunto de números.
E quando esta correspondência não existe, surge a mais conhecida mensagem da web "404 page not found"!
No caso das comunicações digitais de amador necessitamos de converter o nosso indicativo numa sequência de números, de forma a que as nossas ligações sejam entendidas pelos rádios, hotspots, repetidores, etc.
Assim, antes de começarmos a explorar este fantástico mundo digital, temos de obter o nosso DMR ID que, no caso, também é necessário para a operação em D-STAR.
Este registo atribui uma sequência de números, pessoal e intransmissível, tal como o nosso indicativo oficial.
Esta sequência de números obedece a uma lógica de atribuição, mais uma vez, uma semelhança com a os IP dos sites que exemplificamos acima ou aos números das velhas centrais de telefone.
Reflete o número identificador do país, p.e. 268 ou 724, a região e o indicativo obtido em sequência.
Recentemente a plataforma e o método de registo foram alterados em resultado da necessidade de atualizar o sistema.
O processo de registo é simples, mas, ainda assim, a equipa portuguesa criou um tutorial que explica, passo-a-passo, a forma de obtenção do DMR ID.
Vejam neste link uma série de imagens explicando o simples.
Isto porque, dizem eles, uma imagem vale mais de mil palavras…

https://dmr-portugal.org/?p=2751

Categoria livre: