Regresso ao vinil

Separadores primários

Discos de vinil
Capa do album de Caetano Veloso e Gilberto Gil
Capa de um disco de Count Basie

Seria injusto não se referir nas páginas deste site a importância dos discos na história da rádio.

Pretos, primeiro de cera depois em vinil, de 78 rotações por minuto lidos literalmente por um "prego" ou micro sulcos de 33 1/3rpm, estes objectos, hoje de culto, foram a fonte de música e programas ao longo das várias décadas de vida da rádio.

Actualmente reformados, primeiro pelo aparecimento do CD, depois com a utilização de computadores e suportes digitais comprimidos, o vinil parece querer ressurgir, desta vez não para as ondas da TSF, mas para os ouvidos exigentes dos melómanos.

Começam a aparecer novamente as lojas de discos (terão desaparecido?), o mercado de usados ganha dimensão global graças à Internet e às facilidades de compra por este meio, vendem-se e licitam-se raridades, há quem desista do CD. Para os mais novos é tempo de aderir com a curiosidade própria de quem nasceu na era dos discos prateados de 12cm.

Os conjuntos e artistas internacionais estão a editar os seus êxitos mais recentes também em vinil.

Os mais velhos, os que atiraram para o sótão os velhos discos, quando passou a ser moda o CD, o som digital, puro, sem estalidos ou chiados, têm agora a oportunidade de os resgatar, lavando-os, substituindo-lhes as bolorentas capas de papel ou celofane, preparando-se para voltar duas ou três décadas atrás, reouvir o que nunca foi editado em CD ou comparar com o formato digital.

A surpresa vai ser grande, o som vai soar mais limpo, puro, quente, humano, que o formato digital. Os cantores vão parecer mais perto de si, os instrumentos bem localizados no palco sonoro, a riqueza dos médios, a dinâmica de um som não comprimido, vão fazê-lo esquecer o ruído de fundo, os estalidos ou "pipocas" e vão despertar em si o desejo de ouvir mais e mais, de querer voltar a comprar discos, de se interessar pelas novas reedições, algumas de luxo, outras prensadas há décadas.

Vai ficar surpreendido com a quantidade de lojas de discos de vinil, vai reparar que as grandes superfícies voltam a ter gira-discos e secções de vinil, vai ficar admirado com a quantidade de sites existentes sobre o assunto, ensinando truques de limpeza, restauro, conservação, etc.

Com esta série de artigos que serão aqui publicados, pretendemos constituir uma espécie de aperitivo para a redescoberta das velhas bolachas, deixando, depois, ao seu critério a pesquisa, compra, descoberta de mais informação sobre o assunto.

No entanto, o que aqui fica será já um bom ponto de partida para, quem sabe, recambiar para o sótão os novos e brilhantes Cd's, isto sem saudosismo, ou culto pelo antigo, ultrapassado ou fora de moda.



A volta do acetato



Comentários

Um óptimo tema. Discos de vinil.
Parabéns pelo artigo.
Para além, claro, de rádios antigos, possuo também aparelhagem HI-FI que inclui, obrigatoriamente um gira-discos.
Lá coloco um disco de vinil de vez em quando para matar saudades e, de facto, embora oiça uns "estalidos"
também oiço sons realmente puros. É diferente.
Aproveito a oportunidade para, se alguém souber, solicitar o favor de me informar como devem ser limpos os discos de vinil.
Abraços e obrigado.
selmoleal@netcabo.pt

Este meu pedido fica sem efeito, pois já vi noutro tópico, o tema sobre "limpeza de discos de vinil".
As minha desculpas.

gosto tanto de discos de vinil que o nome do meu bar do qual sou proprietario pus-lhe o nome de vinil bar .
acho que sim o vinil e que e so e pena que a malta mais jovem so liga au cd e pior o cdrw.
ricardo domingos

:) Penso que já todos devem ter notado a oferta de equipamentos para a leitura de vinil (Gira-discos ou também como se dizia no meu tempo Pick-Up), será que isso é uma antecipação do regresso do vinil, seria interessante voltarmos a ter exitos actuais editados em vinil.
Li também a pouco tempo que uma empresa portuguesa vai continuar a fabricar pré amplificadores e amplificadores a valvulas, assim vamos poder escutar o verdadeiro som de um vinil amplificado com a qualidade da valvula, livre de distorções, com um qualidade sonora final pura. :)

Olá, deixe-me informá-lo do seguinte:
Estão a ser editados actualmente muitos trabalhos em LP, quer reedições quer coisas saídas agora. Dois exemplos, a norte-americana Jacintha e a Dido.
Em Portugal, os The Gift tem a sua discografia editada em vinil.
Quanto às válvulas, existem no mercado muitas opções de escolha de prés de phono, prés de linha, amplificadores, leitores de CD, rádios, etc, a válvulas.
Pessoalmente, tenho um sistema totalmente constituído por válvulas.
Não sei se é uma moda, se virá para ficar, mas sei que, enquanto dura, o som é muito bom e eu vou aproveitar!

Hoje (15-fev-2009) quando passeava com minha esposa, fui visitar o mercado da ribeira numa feira "Bric- a-Brac", nada disto seria importante se não fosse o caso de, após cerca de 20 anos, ter comprado um vinil novo. Sim é verdade nessa feira os singles (45rpm) custavam a módica quantia de .50€ e os LP (33rpm) custavam 1,00€. Comprei 8 Lps, o meu tempo era escasso e não tive oportunidade de escolher mais, mas enriqueci a minha vasta coleção com temas em português, castelhano, inglês etc...
Infelizmente não tive conhecimento que a dita feira existia já há alguns dias atrás, mas mesmo assim é de louvar estes eventos que sem explorarem as carteiras dos visitantes, expositam diversos produtos que variam entre os livros, passam por excelentes marcas de vinho, objectos de decoração, entre outros e finalmente uma soberba coleção de vinis virgens (eram mesmo novos, primeira mão) a preços excelentes.
E assim após 20 anos de ter comprado o meu ultimo vinil novo, eis que compro 8 novissimos Lps, a que o meu "gira discos" devorou nas ultimas horas com aquele carateristico puro SOM. :jawdrop: :jawdrop: :jawdrop: :jawdrop: :jawdrop: :jawdrop:

É já no próximo sábado, a Exposição/Venda de vinil usado às 14.30 na Oficina da Juventude do Miratejo.

Edições em vinil - EP, LP e SINGLE, dos Beatles, Rolling Stones, Cream, Kinks, Small Faces, Elvis Presley, Jimi Hendrix, Led Zeppelin, Black Sabbath, Alice Cooper, Doors, steppenwolf, Lou Reed, Pink Floyd, Génesis, Frank Zappa, Animals, bob Dylan, Walker Brothers, David Bowie, Deep Purple, Stooges, Génesis, Free, e muitos outros nomes do Garage, Underground e Psicadélico dos anos 60 e 70.

Terá uma parte de música portuguesa, com edições dos anos 60, bastante raras, em EP, LP e SINGLE de nomes como: Conchas, Amália, Madalena Iglésias, Simone, e vários nomes do FADO dos anos 60. Discos de música de intervenção relacionados com o 25 de Abril, como: José Mário Branco, José Afonso, Fausto, Sérgio Godinho, Brigada Victor Jara, Gac, Adriano Correia de Oliveira, e muitos outros.

Rock e Punk português de fim dos anos 70 e anos 80: Ferro e Fogo, Xeque Mate, Mau Mau, Jafu-mega NZZN, Táxi, Go Graal, TNT, UHF, GNR, X-acto, Sub-verso, Xutos, Trabalhadores do Comercio, Iodo Adelaide Ferreira, entre outros. Bandas psicadélicas de rock progressivo português dos anos 70: Tantra, Petrus Castrus, Pop Five Music Inc, Ananga ranga, etc. não esquecendo o josé Cid, Doce, Carlos Paião, António Variações.

Esta exposição contará também com muitas edições raras em SINGLE e LP, de fim da década de 70 e dos anos 80: Sex Pistols, 999, Dead Kennedys, Cramps, Sepultura, Motorhead, Ac/Dc,
Iron Maiden, Kiss, Madonna, Queen, Saxon, Ramones, Sisters Of Mercy, U2, Anthrax, Boney M, Def Leppard, Exploited, Judas Priest, Love And Rockets, Nick Cave And The Bad Seeds, New Order, Nina Hagen, Police, Stranglers, Dire Straits, Wasp, Whitesnake, Abba, Madonna, Prince, … e muitos outros.

São cerca de quatro ou cinco mil discos de vinil usados, lp’s, singles e ep’s. todo o tipo de música do 60’s, 70’s, 80,s: Punk, heavy metal, hard rock, hard core, power, gótico, beat, country, new wave, surf, break dance, moutown, speed metal, trash, indie, psicadélico, jazz, funk, disco, clássica, ligeira, pop, glam, progressivo, rock, música italiana, espanhola, brasileira, francesa, música ligeira e canção portuguesa, fado, rock português progressivo e punk dos anos 70 e 80, singles do festival da eurovisão dos anos 70 … ETC.

EXPOSIÇÃO/VENDA DE VINIL USADO
dia 28 de Fevereiro, sábado entre as 14.30 e as 17.30 horas

OFICINA DA JUVENTUDE DO MIRATEJO
Piso superior do mercado municipal
Rua Adriano Correia de Oliveira, nº8 – 1º - Miratejo 2855-227

live act by
‘’the noise terrorists’’
.
LP’S, SINGLES, MAXI’S, EP’S
60’s, 70’s, 80,s
punk, heavy metal, hard rock, hard core, power, gótico, beat, country, new wave,
surf, break dance, moutown, speed metal, trash, indie, psicadélico, jazz,
funk, disco, clássica, ligeira, pop, glam, progressivo, rock,
música italiana, espanhola, brasileira, francesa,
música ligeira e canção portuguesa, fado
rock português progressivo e punk
dos anos 70 e 80 …

T: 969708149
carlosganhao@yahoo.com
.
.

http://www.timeout.pt/news.asp?id_news=3087

Caros Amigos do Disco de Vinil.
Bom dia!
Fiquei muito satisfeito ao encontrar o site "A minha rádio" e mais ainda de poder me registrar.
Gostaria de informá-los que na cidade de Santo André estado de São Paulo-Brasil, organizamos a Feira Livre do Vinil de Santo André desde junho de 2004, estamos na quadragésima edição.
Nessa feira não comercializamos cds ou dvds.
A próxima edição será em 18 de abril de 2009, das 9 as 18hs, na Galeria Studio Center que fica na rua Campos Salles, 58 - centro.
Reunimos de 20 a 30 expositores que trazem todo tipo de música em vinil e outros artigos relacionados.
Caso queiram ter maiores informações acessem www.feiralivredovinildesandre.hpg.ig.com.br
O site não está atualizado ainda mas dará um aidéia da nossa já tradicional feira.
Saudações Vinílicas

Vai ser editado uma colectania de 9 discos em vinil, dos Xutos&Pontapés,comemorando assim os 30 anos de carreira desta banda, os Fans vão ter oportunidade, já a partir de dia 20 adequirir os albuns "Cerco" (1985) e "Xutos&Pontapés" (2009). Em Setembro serão lançados "Circo de Feras" (1987) e "Gritos Mudos" (1990), em Dezembro serão lançados "Dizer não de vez"(1992), "Direito ao deserto"(1993) e " O Mundo ao contrário"(2004).
As reediçõs em vinil serão limitadas a 500 exemplares e seguem quase fielmente o grafismo original.
A ideia da Rastilho Records "espera muita gente interessada, sobretudo os fãs" ;) ;)

Parabéns pelo site. É sempre um prazer ter contato com amantes do som analógico!

Abraço da REGENCE AUDIO
www.regenceaudio.com

Array

Muito obrigado pelo seu comentário. Nesta mesma página encontra uma ligação para um artigo sobre limpeza de discos de vinil.

António Silva


Faça um donativo!

Faça um donativo!

Agora é mais fácil com Paypal!

Com o paypal.me pode contribuir para o site em qualquer moeda e em qualquer valor com a segurança desta plataforma.

Clique aqui para ajudar com o que quiser, com o que poder.