Teatro radiofónico rápido (5)

Separadores primários

Imagem alusiva ao tema
Outra imagem alusiva ao tema
Outra imagem alusiva ao tema
Outra imagem alusiva ao tema
Outra imagem alusiva ao tema

"Encontros e reencontros de Alice e Alberto"

Nota prévia: este teatro radiofónico é ficção. Se notar alguma semelhança entre ficção e realidade, é uma coincidência feliz e mostra atenção na leitura.

2

[ruído de fundo: palmas]

Voz B: obrigado, professora Alice Caeiro, pela sua conferência.

[redução do som de palmas; depois, vozes a conversar]

Narrador: a cena passa-se numa sala do Instituto Goethe. O novo responsável, Curt Meyer-Clason, está interessado em projetar as novas correntes estéticas alemãs, com conferências, filmes, espetáculos de música e de teatro. Depois de ter trabalhado quase vinte anos no Brasil, ele quer ficar na história cultural de Lisboa. Além de falar bem português e ser tradutor da literatura portuguesa e brasileira para a língua do seu país. Naquele fim de tarde, Alice Caeiro, professora da Faculdade de Letras, falou de literatura alemã.

Voz C: gostei, mas acho que ela deu mais relevo a uns autores do que a outros. Por exemplo, foi clara quanto a Thomas Mann, que expressou a crítica subtil ao pensamento europeu e alemão. Ela identificou A Montanha Mágica, com as personagens a representarem alegorias como o humanismo e o radicalismo e a explorarem os temas do tempo, da doença e morte. E o engenheiro Hans Castorp e a visita ao sanatório para tuberculosos, onde conversou com internados.

Voz D: ela não esqueceu igualmente Stefan Zweig, com a mesma memória da desgraça da I Guerra Mundial, ele que fez parte do exército alemão.

Alberto: achei-a muito atual ao falar de A morte em Veneza, em que o escritor Gustav von Aschenbach viaja para Veneza e se encanta pela beleza do jovem polaco Tadzio. Li que o filme de Luchino Visconti está a ter um enorme sucesso, ainda por cima com música de Mahler. Espero que venha depressa para Portugal.

Linda (namorada de Alberto): e que achaste mais da conferência?

Alberto: faltou Brecht. Eu gostaria de encenar peças como Tambores na Noite, A Ópera dos Três Vinténs, O Círculo de Giz Caucasiano ou Terror e Miséria do III Reich. Nem uma palavra sobre ele. Antígona foi encenada em 1968 no Técnico. E há traduções por aí das peças dele.

Linda: é demais, amor. Sabes da proibição constante das representações das peças dele? Para mim, a Alice Caeiro preocupou-se mais com os irmãos Grimm e os seus contos de fadas, como Cinderela, A Bela e o Monstro, A Bela Adormecida, Branca de Neve. Já ouvi na Emissora Nacional algumas adaptações feitas pela Madalena Patacho. Porquê o entusiasmo dela?

Alberto: talvez seja oportuno perguntar. Ela já se viu livre dos seus alunos, uns graxistas de primeira. Querem ter boas notas, é isso.

[ruído: vozes a falarem amigavelmente]

Alberto: senhora professora. Nós estávamos a discutir as razões por que privilegiou os irmãos Grimm. Os meus amigos, a minha namorada Linda.

Alice: olá, desde a outra vez aqui no Instituto Goethe. Eu estou a preparar um livro e a sua adaptação ao teatro radiofónico. É uma série de histórias infantis, não como os contos de fadas dos irmãos Grimm, mas em torno de pequenos heróis portugueses. Um misto entre lendas e histórias reais. Os Grimm são imprescindíveis pelo espanto e pela magia das suas histórias. Talvez o Alberto quisesse colaborar. Sei que agora está a trabalhar no programa Tempo Novo em Rádio Clube Português.

Alberto: pronto, já sabe onde me encontrar.

[Alice Caeiro despede-se e passa a conversar com outro grupo. Lentamente, os participantes começam a sair da sala]

Voz C: uau, vocês conhecem-se bem. Não sabia. Linda, parece que temos concorrência.

Alberto [um pouco abespinhado]: ela podia ser como uma irmã mais velha.

Linda: a tribuna da União Nacional e que se zangou com o professor Prado Coelho por causa da atribuição do prémio a Luandino Vieira? Lembram-se dela quando, no parlamento, criticou a abertura de uma discoteca por ficar próxima de uma escola secundária? Uma defensora da moral e dos costumes. Oh, concorrência!

Narrador: Alberto ficou silencioso. Apesar da ausência a Brecht, ele apreciara o estilo da conferência e ficara a pensar na oferta do teatro radiofónico. No fundo, poderia ser uma experiência útil para o seu sonho de encenador. Linda, pelo seu olhar para longe, percebeu que algo acontecera.