Os sons da história

Histórico: Hindenburg, tragédia em directo

Durante o século XX foram muitas as realizações do homem de grande envergadura, levando aos limites a engenharia, a ciência e a tecnologia. Construções gigantescas cruzaram os mares, edifícios tocaram os céus, pontes e estradas levaram a engenharia a realizações nunca antes imaginadas. E tudo isto deu a sensação de que o homem era invencível, capaz de dominar as leis da natureza, substimando-a, esquecendo a sua força e poder.

No entanto, por várias vezes, a natureza se encarregou de mostrar a sua força e invencibilidade, reduzindo o homem à sua insignificância.

Categoria: 
Imagem: 
Foto do dirigível Hindenburg
Outra foto do dirigível Hindenburg
Foto do dirigível Hindenburg sobre Lisboa

Programa "Os companheiros da alegria"

Em Maio de 1951, o Jornal Diário do Norte, organizava, como habitualmente, a Volta a Portugal em Bicicleta.

Este matotino nortenho entra em contacto com Igrejas Caeiro, convidando-o a organizar um espectáculo no final de cada etapa.

Inícialmente Igrejas Caeiro recusou, mas dado à insistência por parte do jornal, este acabou por ceder e logo iníciou a estruturação da digressão.

A descrição que se segue é do próprio Igrejas Caeiro, publicada no livro"Telefonia" de Matos Maia:

Categoria: 
Imagem: 
Foto de Igrejas Caeiro

Extracto do filme "O Costa do castelo"

O Costa do Castelo, de Artur Duarte

Talvez se pergunte o que terá este filme a ver com a rádio. Pelo título nada se descobre, mas se recorrermos à nossa memória para recuar no tempo, lembramo-nos da célebre cena em que Simplício Costa (António Silva), depois de ter comprado um rádio, o demonstra, explicando como funciona e porque faz aqueles estranhos ruídos.

Nessa simples explicação, feita da forma exuberante com que António Silva nos habituou, acaba por dar a melhor definição de rádio que já se ouviu:

Categoria livre: 
Categoria: 
Imagem: 
Cartaz do filme
Foto de uma cena do filme

Vozes: Oliveira Salazar


Oliveira Salazar (1889-1970)

António de Oliveira Salazar nasceu em Santa Comba Dão a 28 de Abril de 1889. Primeiro seminarista em Viseu, depois estudante de Direito em Coimbra.

Ainda antes de ter terminado o curso foi assistente da cadeira de Ciências Económicas, tendo assumido a regência da cadeira de Economia Política e Finanças em 1917, praticando a actividade com uma qualidade nunca antes vista.

Professor universitário, estadista e ditador português, foi Ministro das Finanças entre 1928 e 1932.

Categoria: 
Imagem: 
Imagem de Oliveira Salazar

Histórico: Lançamento da primeira bomba atómica


LANÇAMENTO DA PRIMEIRA BOMBA ATÓMICA


Foto da bomba atómica


Naquela manhã de segunda-feira, dia 6 de Agosto de 1945, o mundo assistiria a algo nunca visto, um acontecimento que, pela sua violência e consequências, nunca mais deixaria igual o relacionamento entre os povos nem as relações de força entre as grandes potências.

Categoria: 
Imagem: 
Foto da bomba atómica
Foto da bomba em Nagasaki

Vozes: Vasco Santana

Actor português, inigualável na criação de figuras populares. O seu êxito fê-lo interromper os estudos de arquitectura e iniciar uma das mais célebres carreiras de cómico da cena e tela portuguesas.

Pisou o palco pela primeira vez, por acaso, aos 18 anos. Fez centenas de actuações em revistas, operetas, comédias e filmes ao longo da sua carreira.

Alguns títulos foram: A Menina Endiabrada 1929, O Dinheiro dos Pobres 1956, A Canção de Lisboa 1942.

Categoria: 
Imagem: 
Foto de Vasco Santana

Vozes: Roquette-Pinto

"A partir de agora todos os lares espalhados pelo imenso território do Brasil receberão livremente o conforto moral da ciência e da arte pelo milagre das ondas misteriosas que transportam, silenciosamente, no espaço, as harmonias"


- Roquette Pinto


O poeta e jornalista Amadeu Amaral, Secretário da Gazeta do Rio e cronista de O Estado de S. Paulo, teve vontade de rir. Fora convidado por seu amigo Edgard Roquette-Pinto para ouvir uma transmissão experimental da Rádio Sociedade do Rio de Janeiro, que este acabara de fundar.

Categoria: 
Imagem: 
Bandeira do Brasil com um rádio no canto

Vozes: Thomas Edison

A história regista muitos paradoxos (factos que parecem ser contraditórios entre si), mas nenhum mais estranho do que este: duas das maiores invenções acústicas (que dependem da habilidade de se ouvir sons) foram desenvolvidas por um homem parcialmente surdo.

Categoria: 
Imagem: 
Imagem animada com vários retratos de Edison ao longo da sua vida
Cilindro de Edison
Foto de Thomas Edison

Páginas