Titanic - História do maior navio do mundo

Separadores primários


HISTÓRIA DO TITANIC



Imagem do 

Titanic


A história do Titanic e dos dois outros navios gémeos começa num jantar na mansão londrina de James P. Morgan, sócio maioritário dos maiores estaleiros do mundo, Harland & Wolff.


Foto de J. P. 

Morgan


Nesse jantar do dia 10 de Junho de 1907 com Bruce Ismay, presidente da “White Star Line”, foi decidida a construção dos três maiores navios do mundo: O Olympic, o Titanic e o Jagantic que, após a tragédia com o Titanic, seria rebaptizado de Britanic.

Era objectivo desta companhia concorrer na rota do Atlântico com a Cunard Line, proprietária das embarcações MAURiTANIA e LUSITANIA.

Curiosamente ou talvez não, a casa onde nasceu o Titanic, é hoje a embaixada da Espanha no Reino Unido.

Embora a companhia de navegação “White Star Line” tivesse sido fundada em 1869 na Inglaterra, desde 1902 fazia parte de uma holding norte-americana chamada “International Mercantil Marine”.


Imagem da International 

Mercantil Marine


O seu presidente era Bruce Ismay, apontado por muitos historiadores como o principal causador da tragédia do Titanic.


Imagem de Bruce Ismay


Bruce Ismay era passageiro do Titanic na viagem de inauguração e foi ele quem deu ordens ao capitão Smith para viajar à velocidade máxima, mesmo numa zona de icebergs.

Não morreu no acidente porque tomou o lugar de uma senhora num dos botes salva-vidas. Foi posteriormente rejeitado pela sociedade britânica, tendo morrido só na sua mansão nos arredores de Londres.

Um ano e meio depois do jantar na mansão de James Morgan, foi iniciada a construção do Titanic. Era a manhã do dia 31 de Março de 1909.

Embora nos estaleiros “Harland & Wolff” trabalhassem mais de 14 mil operários, apenas 1700 homens trabalharam duramente durante 27 meses para acabar a construção do Titanic.

Para a construção foram necessárias 27 mil toneladas do melhor aço. O casco era composto por chapas de aço de 2,5cm de expessura que se uniam com mais de 3 milhões de rebites. Note-se que nessa altura ainda não tinha sido inventada a soldadura, usando-se rebites para a união das chapas.

A construção do navio custou à White Star Line 10 milhões de dólares de 1912, uma astronómica soma para a época, correspondendo a uns 1000 milhões de Euros.

O dinheiro para financiar esta construção veio dos Estados Unidos, mais concretamente de James Morgan.

Foi lançado à água no dia 31 de Maio de 1911 pelas 12 horas. A este acto tão importante assistiram, para além do presidente da Câmara de Belfast, James Morgan e todos os directores, pessoal da empresa construtora e da companhia de navegação e mais de 100 mil pessoas que se amontoaram pelos arredores dos estaleiros para presenciarem o nascimento do navio dos sonhos.

Foi um acto impressionante, como tudo o que estava relacionado com o Titanic, por exemplo, as suas dimensões: Desde a coberta principal até à quilha tinha 57 metros de altura, desde a proa até à popa 270 metros de comprimento e 30 de largura. Na coberta do Titanic poderiam ter sido construídos 3 campos de futebol. Cada uma das 3 âncoras pesava 15 toneladas. O casco pesava 46 mil toneladas de peso bruto. As duas hélices laterais de 3 pás, mediam 7 metros de diâmetro e pesavam 38 toneladas cada uma. A hélice do meio, de 4 pás, media 5 metros e pesava 22 toneladas.

Era capaz de deslocar 52.250 toneladas. A propulsão era assegurada por 29 caldeiras com 159 fornalhas, proporcionando uma potência total de 46.000 hp e 3 hélices permitiam uma velocidade de até 24 nós. Tinha capacidade para 3547 pessoas (passageiros e tripulação).

O Titanic teve a sua construção (sob número de quilha 401 da Harland & Wolff) iniciada a 31 de Março de 1909 tornando-se o maior objeto móvel construído pelo homem.

Em Julho de 1911 é marcada a data da viagem inaugural do Titanic : 20 de Março de 1912 .

Devido ao embate do Olympic com o cruzador da marinha britânica Hawke, ficando com importantes avarias que obrigaram o estaleiro a fornecer homens e materiais para efectuar as reparações do Olympic, a primeira viagem do Titanic foi adiada para o dia 10 de Abril de 1912.

A 3 de Fevereiro de 1912, O Titanic deu entrada na Thompson Graving Dock, concluíram-se os acabamentos e iniciaram-se os testes de mar onde foram realizadas manobras para testes da embarcação e dos seus equipamentos.

No dia 2 de Abril partiu, sob o comando do Capitão Bartlett, para Southampton (a 570 milhas), o porto base para as viagens que começaria a realizar. Onde chegou na madrugada do dia 4 e iniciou o carregamento de carga e suprimentos, além de receber a bordo a maior parte da tripulação.

A embarcação ficou pronta para zarpar na sua viagem inaugural no dia 9 de Abril.

No dia 10 de Abril, às 07:30 tomou o comando o Capitão Edward J. Smith, antigo comandante da Olympic.


Foto do capitão 

Smith


Este capitão tinha sido escolhido com cuidado. Era o mais experiente da companhia, em 35 anos de trabalho nunca sofrera nenhum acidente de maior. Era chamado o “capitão dos ricos” uma vez que era ele quem comandava os navios de luxo que transportavam milionários e famosos. Depois de 35 anos de trabalho esta seria a sua última viagem esperando--o uma merecida reforma!

Das 09:30 às 11:00 foi realizado o embarque dos passageiros das 2a. e 3a. classes. Os passageiros da 1a. classe embarcaram às 11:30.

Era meio-dia em ponto quando o Titanic soltou as amarras do cais número 44 da White Star Line no porto inglês de Southempton.

2208 pessoas entre passageiros e tripulantes viajaram a bordo do maior navio do mundo que efectuava a sua viagem inaugural. Ironicamente esta seria a sua primeira e última viagem.

O Titanic partiu sendo levado por rebocadores para fora do porto. Um incidente ocorreu quando O Titanic já navegando pelos seus próprios meios passou próximo da embarcação New York. A deslocação da água que o seu movimento provocou fez com que as amarras da outra embarcação se quebrassem e a popa da mesma fosse na sua direcção. Graças a uma rápida intervenção da tripulação da New York a colisão foi evitada por apenas 2 metros.

Depois de saído do porto de Southempton, o Titanic dirigiu-se ao porto francês de Cherbourg ancorando na sua doca já que um navio tão grande não cabia no interior do porto.

Aí, e por meio de botes, subiram passageiros, principalmente de primeira e segunda classe.

No porto irlandês de Queenstown embarca passageiros de terceira classe, mercadoria e correio. Deixou este porto na tarde do dia 11.

Era a última escala antes de chegar a New York.

Willian Murdock teve um papel muito importante na história do Titanic, tanto pelo papel que desempenhava no navio, como pelo seu comportamento pessoal e coragem demonstradas no momento da colisão com o iceberg.

Murdock era o 1º oficial do navio e era ele que se encontrava ao comando quando se deu o choque. Em décimos de segundo teve de decidir o que fazer e a primeira ordem foi fechar de imediato as portas estanques.

O papel deste oficial também foi importante durante a evacuação dos passageiros. Era o responsável pela coberta “A” e, ao contrário do que se passava nas outras cobertas, ordenou que enchessem completamente os botes salva-vidas mesmo que fosse com homens. Graças a esta ordem 80% dos homens que se salvaram a ele devem a vida.

Na coberta “B” não foi permitido o embarque de nenhum homem e estes arrearam só com mulheres e crianças de forma que só levaram metade das pessoas que se poderiam ter salvo. Alguns botes foram lançados ao mar com 14 ou 15 pessoas enquanto que a sua capacidade era para 72.


Imagem de bote 

salva-vidas


Murdock morreu congelado no mar por já não ter forças para entrar para o último dos botes salva-vidas que ele ajudara a lançar à água.

A esplêndida coberta superior era utilizada pelos passageiros de primeira classe para passear, conversar e apanhar sol, podendo usar para tal confortáveis cadeiras reclináveis.

Foi graças a algumas destas cadeiras que, atiradas à água e flutuando no mar gelado, permitiram que alguns passageiros se salvassem.


Imagem da extensa 

escadaria


Um dos símbolos da beleza, do esplendor e do luxo do Titanic era a grande escalinata de proa. Ao entrar, depois de um passeio pela coberta, notava-se como a luz natural penetrava pela cúpula de ferro e vidro reflectindo a sua luz nas pálidas madeiras de carvalho e nas suas douradas balaustradas.

Na parede do patamar superior podia ver-se um painel também de carvalho talhado, com um relógio cercado por duas figuras que simbolizavam a honra e a glória que estavam por cimadeste, demonstrando como a honra e a glória devem estar sempre acima do tempo.

Por esta grande escalinata desciam os passageiros da primeira classe à sala de jantar.


Imagem da sala de fumo da 

primeira classe


Muito perto da sala de fumo da primeira classe existia o luxuosíssimo restaurante francês “A la Carte”. Este restaurante, administrado por uma empresa hoteleira francesa, era muito selecto mesmo para os passageiros de primeira classe que tinham de pagar um suplemento para comer na sua luxuosa sala.

A fim de satisfazer os gostos dos passageiros de primeira classe, existiam oito estilos diferentes de decoração das cabines. Em qualquer deles ressaltava o luxo e o conforto que tinham aqueles quartos, móveis de carvalho, painéis esculpidos à mão, uma sala de jantar e casa de banho completa com água quente e fria.

Mesmo os quartos reservados à terceira classe eram muito bons para a época e podem ser ainda hoje comparados aos de segunda dos navios actuais.

Era, sem dúvida, o hotel mais luxuoso do mundo e cada passageiro da primeira classe pagou o equivalente a 80 mil euros para embarcar no navio.

No entanto teve vida curta, apenas quatro dias: de quinta, dia 11, a domingo, dia 14.


Comentários

foi 1 historia tragica mas linda o que mais me fascina e a coragem das pessoas e lindo para a lem de tragico

Gostei da história, mas falta-lhe o relato do dia trágico. Mas também essa omissão terá sido propositada.
Quanto ao maior navio do mundo, era de facto na altura o maior. mas já houve navios maiores e que se afundaram, perecendo muitas mais vidas. Enquanto no Titanic morreram pouco mais de 1.500 pessoas, na 2ª Guerra mundial, só o afundamento do Wilhelm Gustloff, navio de luxo alemão, carregado com refugiados que fugiam da actual Polónia do Exército Vermelho, calcula-se que tenham morrido entre 9 e 12.000 pessoas, quando foi torpedeado por um submarino russo.
E este não foi o único paquete alemão afundado na 2ª guerra mundial, outros afundaram com muitos milhares de pessoas.
O navio de maior porte que existe neste momento, é o Jahre Viking, que está reformado e serve de enorme reservatório flutuante, tem uma dimensão tal que cabem no seu interior 2 titanic's!!!!

Cumprimentos

Uma das melhores historias ja contadas ao publico

GOSTEI MUITO DESSA SITE POR Q EU SEMPRE QUIZ VER FOTOS..

Adorei o site de vocês, gostaria deceber IMAGENS do fabuloso navio de luxo TITANIC juntamente com muitas curiosidades.

Não tenho muito para diser apesar de ser uma linda historia de amor entre a " rose" e o "jack" pois foi la onde se conheceram, mas é o filme muto triste.
Ja tinha visto o filme varias vezes mas nunca tinha viste todo so a parte do meio no dia 1.julho.2007 quando deu na tvi fou a primeira vez que vi e no fim chorei muito muito. pois este filme revela uma linda historia de amor que acabou por causa de um iceberg.
Parabens ao filme e aos actores

Eu gosto muito do romance do filme. E acho que está muito bem feito relata acontecimentos muito importantes.
Gostava de ver fotos reais do titanic no fundo do mar.
Gostava de ter nascido 1 séc antes para poder ter ido nessa viagem ( mas não gostava de morrer ).

gostei muito do filme apesar de ter morrido muita gente . O grande amor de jacke e rose foi muito bonito apesar de jacke ter morrido nas Águas geladas do norte pacifico . gostava que ele tivesse sobrevivido e se tivesse casado com a rose . gostava de ter ido a essa viagem mas nao gostava de morrer nem gostava que as outras pessoas tivessem morrido . quando acabei de ver o filme fiquei a chorar apesar de ser fiqueçao mas que e serto que e verdade a historia e . nunca mais vou esquecer esta historia de titanic

Chorei demais no final quando o jack morre congelado,mas adorei o filme de james camerom

"Daria pontuação máxima", dizendo muito, mais fica por dizer, quando é referido, e recordando um outro afundamento e sem ser de forma quase natural, "como foi o caso do tal, Titanemseiquê, mas por outros motivos, e conforme o autor muito bem recorda a morte dessas 9 a 12.000 pessoas a bordo do Wilhelm Gustloff, "1 caso apenas dos imensos" cujos factos, já esquecidos foram no tempo, mas porquê tanto falar nesse, quando efectivamente houve naufrágios com mais perdas de vidas humanas, será porque a bordo seguiam figuras endinheiradas?
Na verdade qualquer acidente que envolva a perda de vidas humanas deverá SEMPRE ser considerado ENORME. mas faz parte da história nada mais, porque outros com mais motivos foram esquecidos, e bastante mais merecedores de os recordar, o titanic tem dado muito que escrever, além de imenso dinheiro para os bolsos de alguns, é de louvar o esforço do operador de telegrafia.


Faça um donativo!

Faça um donativo!

Agora é mais fácil com Paypal!

Com o paypal.me pode contribuir para o site em qualquer moeda e em qualquer valor com a segurança desta plataforma.

Clique aqui para ajudar com o que quiser, com o que poder.